Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Encontrão de Catequistas 2012


Hino à Santana

(Esta música foi composta por Audísio Sobral, da comunidade de Santana, em Casa Forte)

Mãe da divina mãe
Do cristo Nosso Senhor
Teu povo todo te exalta
Com alegria, com fervor.

Avó abençoada,
De Jesus de Nazaré
Abrande meu coração
Fortaleça minha fé

Pra que na estrada da vida
Eu não venha a tropeçar
Me ensine a amar a todos
Me ensine a perdoar

Mãe de Maria
Avó do Senhor
Dá-me tua paz
E teu amor

Mãe de Maria
Teu povo te aclama
Dá-nos tua benção
Senhora Sant'Anna

terça-feira, 24 de julho de 2012

Visita Pastoral – Casa Forte - Programação corrigida



    
CONVITE     
Sinta-se convidado(a) para participar da vista Pastoral do nosso já querido Arcebispo Dom Fernando Saburido, a nossa Paróquia, na sexta-feira, 27 de julho, às 19h30. Haverá na matriz  a solene abertura com uma concelebração presidida por ele. Em seguida, no salão paroquial, será realizada uma apresentação do que é a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, nos dias de hoje. Não falte a esses dois momentos. Espero (a) de braços abertos

Padre Edwaldo Gomes
VISITA   PASTORAL  CASA  FORTE
27 a 29 JULHO de 2012

27 DE JULHO – SEXTA FEIRA
18h – Jantar: Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1
          (Casa Paroquial).
19h30 – Celebração Eucarística – Matriz do Sagrado Coração de Jesus
           com  Dom Fernando Saburido.
-Apresentação Pastoral, acolhida e saudação – Pe José Edwaldo Gomes - Pároco.
           - Apresentação do tema: Visão geral de nossa Paróquia hoje 
            (Salão Paroquial)

28 DE JULHO – SÁBADO:
8h - Laudes – Matriz do Sagrado Coração de Jesus (Liturgia)
8h30 – Café: Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1
          (Casa Paroquial).
9h às 11h – Encontro com o CPP (Conselho Pastoral Paroquial)
            (Salão Paroquial)
10h30 – Vida Religiosa e Consagrada – Comunidade da Sagrada
Família, Virgem Poderosa e Arautos – Frei Paulo Amâncio
Freitas - (Sagrada Família)
11h –  Catequese – Frei Evilásio Medeiros (Salão Paroquial)
11h – Liturgia – Pe Nilson Silva (Secretaria Paroquial)
12h – Almoço: Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1
          (Casa Paroquial).
15h – Chancelaria, Economia e Secretaria Paroquial – Mons. José
Albérico Bezerra  e PE  Cícero de Paula (Ante Sala da Secretaria)
15h – Catequese Paroquial com os catequizandos – Passagem do
Arcebispo (Salão Paroquial)
16h – Encontro com a melhor idade – (Colégio Virgem Poderosa)
17h – PASCOM – Pe Luciano Brito – ( Ante Sala da Secretaria)
18h - Jantar: Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1
          (Casa Paroquial).
 
15h – Chancelaria, Economia e Secretaria Paroquial – Mons. José
Albérico Bezerra  e PE  Cícero de Paula (Ante Sala da Secretaria)
15h – Catequese Paroquial com os catequizandos – Passagem do
Arcebispo (Salão Paroquial)
16h – Encontro com a melhor idade – (Colégio Virgem Poderosa)
17h – PASCOM – Pe Luciano Brito – ( Ante Sala da Secretaria)
18h - Jantar: Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1
          (Casa Paroquial).
18h30 – Celebração Eucarística na Lemos Torres (Dom Fernando) e outras comunidades, se possível.

29 DE JULHO – DOMINGO
8h – Laudes (Colégio Sagrada Família).
8h30 - Café - Arcebispo, Pároco e demais padres do Vicariato Norte 1.
9h – Gincana Jovens – Pe Gimesson Silva – ( Salão Paroquial)
9h30 – Visita ao Bazar
10h às 12h – Visita às Comunidades e aos doentes (Dom Fernando)
12h - Almoço: Arcebispo, Pároco e demais padres do
          Vicariato Norte 1 (Casa Paroquial).
15h às 16h – Conversa Pessoal (Dom Fernando Saburido)
17h – Celebração Eucarística de encerramento – Dom Fernando
19h – Encontro dos adolescentes - Dom Fernando- (Salão Paroquial)

30 DE JULHO - 2ª FEIRA: Visita ao Encontro de irmãos, Casa da Criança Marcelo Asfora e Creche Menino Jesus 

domingo, 22 de julho de 2012

Refletir nossa Vida




Bruno Luã da Silva Galvão
Graduando de filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco. E-mail: brunoluan2007@hotmail.com

            
Vivemos numa sociedade mergulhada em momentos tempestuosos que permeiam a vida de nossas famílias. São inúmeros os problemas que assolam as diversas famílias que convivem e encaram diariamente artimanhas maléficas. Drogas, violências, doenças, prostituição, falta de amor, infidelidade, individualismo, perda do sentido da vida, “inconformações”, entre outras banalidades, são “ferramentas” que destroem o seio familiar e comunitário.
 Acenamos um elemento primordial causador dessa divisão de águas existente na humanidade, o vazio de Deus que grande massa da sociedade permite em suas vidas. E neste vazio que desencadeia uma migração do ser humano, que desiludido, acaba buscando um preenchimento para sua vida, e logo adiante descobre que são apenas refúgios que causam destruição para si mesmo.
Provas desta perda do sentido/desengano da vida são as inúmeras tentativas de sentirem o senhor de sua própria vida. Decidem caminharem sozinhos, mas acabam se frustrando ao decorrer da caminhada, pois não encontram forças para superar os obstáculos, sentem-se frágeis, desmotivados.   
Parece-nos que nossa vida é semelhante a uma floresta. Lá encontramos seus habitantes – os animais –, mas que vivem com o constante tormento pela caça humana. Armadilhas estão postas em todos os ambientes. Cabe a cada animal vigilância total para não ser fisgado pela presa do homem.
Canalizamos esta vida difícil dos animais com a nossa. Também nós estamos cercados pelas armadilhas e ciladas do filho das trevas. A cada momento quer fazer-nos seus prisioneiros. E quando estamos vazios de Deus, somos bastante perseguidos e muitas das vezes arrebatados pelo trabalho bem feito daquele que sonha com a nossa destruição, nossa caída total no abismo. Quer nos apresentar o fundo do poço como nossa nova morada, distante da liberdade e de respirar a vida.
Na Palavra de Deus, especificamente no salmo 124(123), encontramos uma ação de graças, uma glorificação de pessoas que professavam: “Nossa alma como pássaro espaçou. Do laço que lhe armara o caçador. Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, Quando os homens investiram contra nós. Com certeza nos teriam devorado, No furor de sua ira contra nós, contra nós”.
Significante expressão de fé. E olhando para a nossa realidade é notório em nossos dias muitos laços que pretendem nos fisgar, sufocar nossa vida. E fazendo uma analogia, estes laços são os vícios que separa as pessoas de Deus, seja ele do álcool ao apego de coisas sutis, separações causadas pela infidelidade e pela falta de amor, calúnias, prostituição, as drogas, etc, que cotidianamente estão de prontidão para devorar e fazer prisioneiras nossas famílias, nossos jovens, nossas crianças.
Mas, quando fazemos a verdadeira experiência com o mestre Jesus, tudo em nossa vida se transforma. Não há o que temer com as ciladas do inimigo. Quando depositamos nossa confiança no Senhor, e acreditamos que sempre está nos protegendo, por mais que em nossa vida passemos por terríveis situações de perigo, Ele será nosso defensor ajudando-nos a combater e vencendo o gigante, o maligno que quer nos derrotar. 
 E vencendo a cada batalha poderemos professar juntamente com o salmista: “Nossa alma como pássaro espaçou. Do laço que lhe armara o caçador”. Sim, a liberdade é dom de Deus. Está livre para o Senhor realizar milagres e prodígios em nossas vidas. “Basta confiar, saber esperar. Ele agirá”.
Por isso, jovens, casais, pais, pergunte a si mesmo, em quem deposito a minha vida, meus projetos. Se é no Senhor, por que temer? Em quem confio nos momentos difíceis, tempestuosos que a vida apresenta? Mesmo no sofrimento não podemos desistir, olhemos com carinho para esses sinais, pois por eles também advêm rumos de transformações para nossa vida, semelhante a Cristo, que experimentou o sofrimento da cruz, mas que nessa passagem emergiu a vitória com a ressurreição, o triunfo da plena vida nova.
Jamais podemos alimentar pensamentos negativos diante das situações de sofrimento, devemos confiar no Senhor, pois Ele quer nos ajudar. Só que muitos seguem contra a maré, afirmando a ausência de Deus nas situações de perigos que enfrentam na vida. Enganam-se quem age dessa maneira. Muitos que pela falta de fé, não percebem a presença de Deus nos pequenos sinais que a vida apresenta, querem enxergar a manifestação de Deus através de coisas mirabulosas.
Enfim, reconheçamos as limitações da fraqueza humana, e ergamos nossa cabeça quando estiver passando por alguma aflição. Seja vencedor, e supere todos esses obstáculos, confiando no Senhor, pois Ele dará forças para seguir adiante na vida. Cuidado que os laços preparados pela força maligna querem a todo o momento sufocá-lo para torná-lo escravo e prisioneiro. Não deixe sua vida ser laçada pelo caçador (inimigo) que almeja devorá-la para arruinar todos os seus planos e sua liberdade.     
Muitas investidas contra nós virão querendo nos devorar, mas confiando no auxílio do Senhor, que fez o céu e a terra todos os laços maléficos se arrebentaram, pois o Senhor quer nos livres, para respirar a vida e viver bem. Aproveite esta graça de Deus concebida especialmente a você. Deus deseja você uma pessoa livre de todo o mal. Acredite!!!
Descrição: https://mail.google.com/mail/images/cleardot.gif

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O eterno entra na história



Este é o décimo volume da série “Visão global”, que faz parte da coleção “Bíblia em comunidade”. O título “O eterno entra na história” sintetiza seu conteúdo. Trata-se de uma visão ampla e, ao mesmo tempo, detalhada de como vivia o  povo da Bíblia na época de Jesus. Pode-se ver que a vida política, cultural, econômica, religiosa e social não tinha grandes diferenças em relação à de outros povos de ontem e de hoje. Ao nascer na terra de Israel, o Filho de Deus entra na história do povo judeu e na de todos os povos.
O livro está organizado em seis blocos temáticos, cada um com um roteiro de reflexão e estudo compartilhados.
O “eterno entra na história” apresenta o contexto histórico no qual Jesus nasceu, a expectativa do Messias, a situação econômica, político-social e religiosa, a fé vivida no cotidiano da comunidade e a vida em família. Nada temos sobre Jesus, a não ser os escritos bíblicos e alguns testemunhos extra bíblicos que surgiram depois de sua morte. A intenção do livro é mostrar a realidade na qual Jesus se inseriu ao nascer.
A capa do livro apresenta uma mãe com o bebê no colo, representando Maria e Jesus, uma mulher e uma criança como as demais, que se tornaram conhecidas na Judeia e Galiléia. Após sua morte, Maria tornou-se conhecida no mundo pela ação missionária dos primeiros cristãos, sobretudo de São Paulo, o apóstolo.
O tema do estudo inicial é sobre Antônio Conselheiro, que representou as esperanças dos mais pobres e excluídos do sertão nordestino, numa situação semelhante ao povo de Israel. Deus não abandona o seu povo. Em todos os tempos e contextos suscita os seus profetas, que, em nome dele, continuam a missão de animar e fazer surgir a esperança de dias melhores. Jesus, porém, é mais do que profeta para nós cristãos. Ele é o Messias Salvador, mesmo que em tudo fosse igual a nós, menos no pecado, como afirma São Paulo.
Sabemos muito pouco sobre a infância de Jesus. Como em todas as famílias de tradição judaica, ele recebeu sua formação humana e religiosa com Maria, José, em família, na comunidade. Com os pais frequentou a sinagoga, ouvia as escrituras e as conhecia. Os Evangelhos não nos falam que tenha ido a alguma escola rabínica do seu tempo, mas nos relatam que frequentava a sinagoga e o Templo. Era um jovem atento e observador da realidade, conhecia o sofrimento dos pobres, a luta do povo. Tudo isso, sem dúvida, contribuiu em seu compromisso com o povo e com Deus, muito consciente da sua missão.
O quinto tema merece um destaque especial: A fé no cotidiano da comunidade, que apresenta o culto que era e ainda hoje é celebrado na sinagoga judaica, com duas grandes parte: a litúrgica e a didática; em seguida, vêm as festas judaicas como a Páscoa, que está na origem da Páscoa cristã. Neste tema, encontramos também o gráfico do calendário judaico e cristão, que nos oferece uma compreensão global das festas, sua origem, estações diversas, por estarmos em diferentes hemisférios.
Jesus não deixou nada escrito que possa nos ajudar em nosso estudo. Tudo o que sabemos nos vem das comunidades dos evangelhos e alguns dados da tradição cristã. Por isso nos fundamentos da fé de nossos antepassados e na nossa própria fé, na promessa de Deus e no cumprimento da mesma, através do Filho, Jesus de Nazaré, que após sofrer a paixão e morte na cruz, Deus o ressuscitou dos mortos. Seus discípulos(as) deram testemunho de tudo isso com suas próprias vidas.
Fontes:
 O eterno entra na história – SAB
 O Estudo da Bíblia em Dinâmicas – Maria Aparecida Duque Romi Auth, fsp