Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Oração da Noite

Eu vos adoro, meu Deus, e vos amo de todo o coração.
Agradeço-vos, por me terdes criado, feito cristã(ao) e conservado neste dia.
Perdoai o mal que hoje pratiquei.
Se algum bem fiz, aceitai-o.
Guardai-me encontro descanso e livra-me de todos os perigos.
Esteja a vossa graça sempre comigo e com todos os meus caros.
Assim seja.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Encontro de Adolescentes de Casa Forte

A inscrição para quem vai participar do encontro de adolescentes 2009 ( a partir dos 13 anos de idade), será no dia 08 de março, às 14:00h, no Salão Paroquial da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus (Praça de Casa Forte).
A incrição custará R$ 20,00.

Catequese 2009

Começam, neste sábado (28/02/09), as inscrições para catequisandos, a partir de 6 anos de idade, que desejem entrar para a nossa catequese.
É necessário levar a certidão de nascimento, uma foto 3/4 e a certidão de batismo.
Será a partir das 14:30h, na Sala da Catequese, no Salão Paroquial da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus(Casa Forte).
Todos serão bem vindos.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Consagração Total da Família a Deus

Deus Pai, em nome de Jesus, na unidade do Espírito Santo e através da intercessão da Virgem Maria, encontro-me aqui, fortalecida(o) pela fé e pela confiança, para consagrar total e radicalmente ao Senhor a minha pessoa, bem como todos os membros de minha família, submetendo-os à sua divina, infinita e eterna Misericórdia.
E, para que essa Consagração seja mais completa, trago aqui, através de seus nomes, um a um de meus familiares (cite aqui os nomes de cada uma das pessoas de sua família) e, junto com eles cada uma de suas intenções mais íntimas e profundas, que só o Senhor conhece e pode realizar.
Peço, para nós, e cada um em especial, a proteção física, espiritual e material que necessitamos para cumprir fielmente sua santa vontade e o plano que o Senhor tem traçado para a nossa família.
Suplico que a união, a paz, a paciência, a verdade, o equilíbrio, o respeito, a aceitação, a alegria e a mansidão sejam constantes em nossa casa.
Peço, que a busca de uma vida de santidade seja nossa principal preocupação, porque desse modo, tenho certeza que a sua Bondade providenciará para nós tudo em acréscimo.
Amém.

Oração da Manhã

Eu vos adoro, meu Deus, e vos amo de todo o coração.
Agradeço-vos por me terdes criado, feito cristã(ao) e conservado nesta noite.
Ofereço-vos as ações deste dia.
Fazei que sejam todas segundo a vossa santa vontade, para maior glória vossa.
Preservai-me do pecado e livrai-me de todo o mal.
Esteja a vossa graça sempre comigo e com todos os meus caros.
Assim seja.

JOGRAL DA ORAÇÃO DO PAI NOSSO

HOMENS: Se na minha vida não ajo como filho de Deus, fechando o coração ao amor, será inútil dizer:
TODOS: PAI NOSSO
MULHERES: Se os meus valores são representados pelos bens da terra, será inútil dizer:
TODOS: QUE ESTÁS NO CÉU
HOMENS: Se penso apenas em ser cristão por medo ou comodismo, será inútil dizer:
TODOS: SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME
MULHERES: Se não nos conservamos puro em nossas ações, pensamentos e palavras, será inútil dizer:
TODOS: VENHA A NÓS O VOSSO REINO
HOMENS: Se não fazemos nada em favor daqueles que sofrem, se não ajudamos a resolver os problemas da comunidade, será inútil dizer:
TODOS: SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, ASSIM NA TERRACOMO NO CÉU
MULHERES: Se preferimos acumular riquezas, desprezando os irmãos que passam fome, será inútil dizer:
TODOS: O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAÍ HOJE
HOMENS: Se não importo em ferir, oprimir e magoar, aos que atravessam o meu caminho, será inútil dizer:
TODOS: PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS ASSIM COMO PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO
MULHERES: Se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho de Cristo, será inútil dizer:
TODOS: NÃO NOS DEIXEI CAIR EM TENTAÇÃO
HOMENS: Se por minha vontade, procuro os prazeres materiais, e tudo o que me seduz, será inútil dizer:
TODOS: LIVRAI-NOS DO MAL!
MULHERES:Se sei que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar, será inútil dizer:
TODOS: AMÉM.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

A catequese precisa aprender a escutar

A catequese precisa aprender a escutar
Não tenha medo de escutar as suas crianças e jovens na catequese. Deixe que falem e contem seus dramas, angústias e êxitos. Aprenda a ouvi-los, sem medo. Muitos encontros de catequese acontecem apenas com o manual de conteúdos na frente e poderiam ser substituídos por atitudes mais acolhedoras dos catequistas. A simples escuta faz a diferença. Infelizmente muitos catequistas não sabem ouvir.No mundo corrido e apressado em que vivemos não guardamos tempo para a escuta. Não escutamos. Não interagimos.A pressa nos torna surdos e incapazes de prestar atenção no que o outro fala. Isso vale tanto na nossa relação de catequistas com as crianças e jovens, quanto na relação com os outros catequistas.A tagarelice toma conta! Blá, blá, blá, blá, muitas vezes, sem nada para dizer. Quando não há escuta, não há diálogo.A pior surdez é aquela que vem acompanhada da incapacidade de observação e da ausência total de sensibilidade. Irrito-me profundamente com quem não houve o que eu falo. Irrito-me mais ainda quando nem terminei de dizer o que estava dizendo e alguém puxa um outro assunto completamente fora do contexto do que eu estou falando.Eu falo demais, mas não peco por não saber ouvir. Ando me policiando neste sentido. Gosto de olhar nos olhos quando alguém fala comigo.Sinalizo com a cabeça esporadicamente, como forma de a outra pessoa saber que estou prestando atenção no que ela diz. Ajo assim com meus crismandos. Eles querem falar, dizer coisas e eu preciso saber ouvir. Tento fazer o mesmo no contato com os outros catequistas. Interfiro numa conversa somente quando acredito que a idéia de quem está falando foi concluída.O processo de escuta é uma troca de experiências, um exercício de atenção e comprometimento com o que outro tem a dizer.Escutar também é evangelizar.Claro, existem muitas vantagens em falar. Mas precisamos compreender que a escuta também pode produzir bons resultados. Escutar é uma habilidade tanto quanto falar.Observe se você como catequista, está sendo bom ouvinte. Preste atenção se você não é daquelas pessoas que interrompe constantemente os outros quando estão falando. Faça uma análise do seu comportamento como ouvinte com os seus colegas catequistas. Na sua família, na relação com os filhos, marido, esposa, namorado, namorada, amigos, como tem sido o seu processo de escuta? Como tem sido a sua observação aos sinais não-verbais que o outro apresenta para você?Numa conversa precisamos ter, entre outras coisas, contato visual. Olhe para pessoa com quem você está falando, mostre afirmação com movimentos de cabeça e expressões faciais apropriadas. Evite ações que distraiam. Faça perguntas, desde que elas estejam dentro do contexto do que o outro está dizendo. Faça transições suaves entre o seu papel de ouvinte e orador.Mostre interesse.Evite interromper o emissor.Não fale demais.Resumindo: ouvir, acompanhar, compreender, reagir e lembrar. Estes são os elementos do processo de escutaComo escreveu Kalil Gibran “A realidade da outra pessoa não é o que ela revela para você, mas sim o que ela não pode lhe revelar. Portanto, se você quer compreendê-la, escute não o que ela diz, mas sim, o que ela não diz”.A catequese precisa aprender a escutar.

Alberto Meneguzzi Jornalista e relações públicas formado pela Universidade de Caxias do Sul ( UCS), catequista de crisma há 20 anos na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes em Caxias do SuL/RSEditor do JORNAL LOURDES, publicação comunitária voltada à evangelização e responsável pela manutenção do site www.paroquiadelourdes.com.br. Profere palestras sobre "A catequese e a comunicação", "Os Pequenos gestos na relação pais e filhos e na catequese", "Os dias atuais e os desafios da evangelização", para pais, jovens, catequistas e liderenças pastorais.

Sugestões para o Dia das Mães

Sugestões para o dia das mães
http://www.4shared.com/file/88909821/a0d5ca49/Vrias_su1.html

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Documentos

Catequese Renovada
http://www.4shared.com/file/88131243/7b515967/catequese_renovada-orientaes_e_contedo.html
Doc.84 - Diretório Nacional de Catequese
http://www.4shared.com/file/88131458/f115cd1c/Diretorio_Nacional_Catequese_Doc84.html
Doc.88 - Projeto Nacional de Evangelização
http://www.4shared.com/file/88131551/890b1f8f/Doc_88_CNBB_Projeto_Nacional_de_Evangelizao.html
Doc.87 - Diretrizes Gerais Ação Evangelização no Brasil
http://www.4shared.com/file/88131693/c9f68ff6/DocCNBB_87_Diretrizes_Gerais_Ao_Evangelizadora_no_Brasil.html

Do site: www.cnbb.org.br

Você é muito importante para mim

VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA MIM

Você é muito importante para mim! Você corre, almoça, trabalha, canta, chora, ama. Você sorri, mas nunca me chama. Você se entristece, depois se acalma, mas nunca me agradece. Você caminha, sobe e desce escadas e não se preocupa comigo. Você tem tudo e não me da nada. Você sente amor, ódio, sente tudo, menos a minha presença. Você tem os sentidos perfeitos, mas nunca os usa por mim. Você estuda e não me entende, ganha e não me ajuda, canta e não me alegra. Você é tão inteligente e não sabe nada sobre mim. Se você está triste, me culpa por isso, mas se está alegre não me deixa participar de sua felicidade. Você faz o que os outros ordenam, mas não faz o que lhe peço com humildade. Se você subiu na vida, pisa nos menos favorecidos, se não subiu descarrega sobre mim sua ira. Você quebra galhos para amigos, mas não tira um espinho da minha testa. Você abaixa os olhos quando um superior lhe fala, mas não levanta esses mesmos quando lhe falo do meu amor. Você defende seu time, seu ator, mas não me defende dos seus amigos. Você não sente vergonha de se despir perante alguém, mas sente vergonha de tirar sua máscara diante de mim. Você é um corpo no mundo e eu sou um mundo em seu corpo. Eu sou alguém que todos os dias bate a sua porta e pergunta: Tem lugar para mim? Na sua casa, na sua vida, no seu coração? Eu estou presente nessas linhas que você por curiosidade começou a ler... Eu sou Jesus Cristo! Quero simplesmente que você me aceite como amigo e me confesse como Senhor e Salvador!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Encontros catequéticos II CF 2009

Encontros II CF 2009

http://www.4shared.com/file/87336105/d24f6e54/encontros_catequticos_II.html

Encontros catequéticos CF 2009

Encontros I CF 2009

http://www.4shared.com/file/87336077/72c2f388/ENCONTROS_CATEQUTICOS_CF.html

As peças da CF 2009

As peças da CF 2009

http://www.4shared.com/file/87335382/95c30a7f/AS_PEAS_DA_CAMPANHA_DA_FRATERNIDADE.html

Programa de catequese

Programa de catequese da Paróquia de Casa Forte
Plano de ensino I unidade
http://www.4shared.com/file/87287155/ab081fc0/Plano_de_ensino_I_unidade_1.html
Plano de ensino II unidade
http://www.4shared.com/file/87287175/993e7d42/Plano_de_ensino_II_unidade_4.html
Plano de ensino III unidade
http://www.4shared.com/file/87287194/70ba605a/Plano_de_Ensino_III_Unidade_7.html
Programa de catequese
http://www.4shared.com/file/87287485/186da366/Programa_da_Catequese_2002.html

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Salmos

UM SALMO PARA CADA OCASIÃO
Os 150 Salmos se dividem em quatro tipos básicos, correspondente às várias formas de encontro com Deus que o povo da Bíblia experimentou:
Salmos de Libertação: FINALIDADE: Suplicar pela vida / gritar; FATO BÍBLICO CORREPONDENTE: Opressão / êxodo / libertação; EXEMPLOS: Sl:3; 6;12; 22; 30; 124.
Salmos de Instrução: FINALIDADE: Aprender com a vida / ensinar; FATO BÍBLICO CORRESPONDENTE: Projeto de Deus / Aliança; EXEMPLOS: Sl 1; 15; 19; 114; 127.
Salmos de Louvor: FINALIDADE: Saborear a vida / louvar; FATO BÍBLICO CORRESPONDENTE: Criação; EXEMPLOS: Sl 8; 93; 104; 136; 139.
Salmos de Festa: FINALIDADE: Agradecer pela vida / festejar; FATO BÍBLICO CORRESPONDENTE: Cotidiano do povo; EXEMPLOS: Sl 45; 65; 84; 87; 133.

COMO ENCONTRAR UM SALMO?
A numeração dos Salmos não é igual em todas as traduções da Bíblia. Por quê?Os Salmos surgiram em hebraico. Na tradução para o grego, os Salmos 9 e 10 foram copiados como se fossem um só, sob o número 9. Por isso, na tradução grega, o Salmo 11 ficou sendo 10 e assim por diante, até o Salmo 147, que foi dividido. A diferença atinge os Salmos 9 a 147.A Igreja Católica costuma seguir a numeração grega. As traduções católicas mais recentes preferem a hebraica. Seguindo-a, respeitamos a estrutura original dos Salmos e entendemos melhor o pensamento dos autores.Uma boa maneira de identificar um Salmo é citar o primeiro verso. Por exemplo: “O Senhor é meu pastor”(Sl 23) ou “O céu manifesta a glória de Deus”(Sl 19).

Dinâmicas

Dinâmicas
http://www.4shared.com/file/87167363/5366f197/dinamicas.html

Resumos de livros bíblicos

Deuteronômio:
http://www.4shared.com/file/87165171/dfebd1f/DEUTERONMIO-resumo.htmlhttp://www.4shared.com/file/87165195/94105488/D_E_U_T_E_R_O_N__M_I_O_questionrio.html

Resumos de livros bíblicos

Gênesis:
http://www.4shared.com/file/87162880/6f679270/Gnesis_apresentao.html

Josué:
http://www.4shared.com/file/87162935/fd3bd503/Josu_Apresentao.html

Juízes:
http://www.4shared.com/file/87162990/77bec906/Juzes_apresentao.html

Rute:
http://www.4shared.com/file/87163062/a945e80f/Rute_apresentao.html

Deus é amor

Deus é Amor
Uma antiga lenda conta que, em tempos remotos, quando os seres humanos viviam completamente esquecidos de Deus, ele fez cair do céu uma moeda de ouro que trazia o seu nome, para que as pessoas, decifrando-a, se lembrassem dele. Mas o lodo e a longa permanência na terra estragaram a moeda, que se tornou quase indecifrável e ilegível. Os vários povos, porém, tentaram repetidas vezes traduzir as suas palavras. Até que finalmente pareceu-lhes haver entendido alguma coisa. O povo hebreu leu nela: "Deus é majestade infinita e poderosa; o seu nome é indizível; se ele fala, morreremos; se nos olha, nos fulmina. Ele é o Terror". O povo grego decifrou: "Deus é beleza e sabedoria. Tudo o que de belo está espalhado no universo, tudo o que de alto concebe a mente humana é um reflexo de sua beleza e sabedoria. Ele é o Belo e o Verdadeiro". O povo romano, habituado ao uso das armas e ao domínio do mundo, interpretou assim a escrita da moeda: "Deus é força, justiça e poder". Mas um pescador da Galiléia, João, filho de Zebedeu, depois de ter lavado a moeda no sangue de um galileu condenado a morrer na cruz, leu nela com extrema facilidade e precisão: "Deus é amor". Do livro: Falemos de amor - www.paulinas.org.br

O vagalume

O vagalume
Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vaga-lume, que só vivia para brilhar. Ele fugia rápido com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir. Dois dias e nada... No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:- Posso fazer três perguntas?- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas, já que vou te comer mesmo, pode perguntar...- Pertenço a tua cadeia alimentar?- Não!-Te fiz alguma coisa?- Não!- Então por que tu queres me comer?- PORQUE NÃO SUPORTO VER-TE BRILHAR!!!

Jesus é amor

Jesus é amor
QUANDO SENTIRES VONTADE DE CHORAR,NÃO CHORE, PODERÁS ME CHAMAR,QUE NÃO EU CHORAREI COM VOCÊ, MAS TE CONSOLAREI. QUANDO VOCÊ SENTIR VONTADE DE SORRIR, AVISE ME , QUE EU SORRIREI CONTIGO...QUANDO VOCÊ SENTIR FALTA DE AMOR, CHAME-ME, QUE EU AMAREI VOCÊ...QUANDO VOCÊ ACHAR O MUNDO PEQUENO,PARA AS SUAS TRISTEZAS, PODE ME CHAMAR, QUE EU FAREI UM MUNDO SÓ SEU PARA SUAS ALEGRIAS...QUANDO VOCÊ ACHAR QUE ESTÁ TUDO ACABADO, CHAME-ME, QUE EU TE AJUDAREI CONSTRUIR TUDO NOVAMENTE. QUANDO VOCÊ PRECISAR QUE ALGUÉM QUE LHE DIGA"EU AMO VOCÊ"ME CHAME QUE EU DIREI ISSO À VOCÊ,EM QUALQUER MOMENTO COM MUITA SINCERIDADE.QUANDO VOCÊ NÃO PRECISAR MAIS DE MIM AVISE-ME, MESMO ASSIM EU CONTINUAREI AMANDO VOCÊ, POIS MEU AMOR POR VOCÊ É IMENSO E SERÁ ETERNO...PORQUE EU SOU O AMOR. SOU JESUS ...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Procure o bem nos outros

Procure o bem nos outros
Um dia, quando eu era calouro na escola, vi um garoto de minha sala caminhando para casa depois da aula. Seu nome era Kyle. Parecia que ele estava carregando todos os seus livros. Eu pensei: 'Por que alguém iria levar para casa todos os seus livros numa Sexta-Feira? Ele deve ser mesmo um C.D.F'! O meu final de semana estava planejado (festas e um jogo de futebol com meus amigos Sábado à tarde), então dei de ombros e segui o meu caminho.. Conforme ia caminhando, vi um grupo de garotos correndo em direção a Kyle.
Eles o atropelaram, arrancando todos os livros de seus braços, empurrando-o de forma que ele caiu no chão.
Seus óculos voaram e eu os vi aterrissarem na grama há alguns metros de onde ele estava. Kyle ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza em seus olhos. Meu coração penalizou-se! Corri até o colega, enquanto ele engatinhava procurando por seus óculos.
Pude ver uma lágrima em seus olhos. Enquanto eu lhe entregava os óculos, disse: 'Aqueles caras são uns idiotas! Eles realmente deviam arrumar uma vida própria'. Kyle olhou-me nos olhos e disse: 'Hei, obrigado'! Havia um grande sorriso em sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu o ajudei a apanhar seus livros e perguntei onde ele morava.
Por coincidência ele morava perto da minha casa, mas não havíamos nos visto antes, porque ele freqüentava uma escola particular. Conversamos por todo o caminho de volta para casa e eu carreguei seus livros. Ele se revelou um garoto bem legal. Perguntei se ele queria jogar futebol no Sábado comigo e meus amigos. Ele disse que sim. Ficamos juntos por todo o final de semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele.
Meus amigos pensavam da mesma forma. Chegou a Segunda-Feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez! Eu o parei e disse: 'Diabos, rapaz, você vai ficar realmente musculoso carregando essa pilha de livros assim todos os dias!'.
Ele simplesmente riu e me entregou metade dos livros. Nos quatro anos seguintes, Kyle e eu nos tornamos mais amigos, mais unidos. Quando estávamos nos formando começamos a pensar em Faculdade. Kyle decidiu ir para Georgetown e eu para a Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa escolar no time de futebol. Kyle era o orador oficial de nossa turma. Eu o provocava o tempo todo sobre ele ser um C..D.F.
Ele teve que preparar um discurso de formatura e eu estava super contente por não ser eu quem deveria subir no palanque e discursar. No dia da Formatura Kyle estava ótimo. Era um daqueles caras que realmente se encontram durante a escola. Estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos. Ele saía com mais garotas do que eu e todas as meninas o adoravam! Às vezes eu até ficava com inveja. Hoje era um daqueles dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso sobre o discurso. Então, dei-lhe um tapinha nas costas e disse: 'Ei, garotão, você vai se sair bem!'
Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão, sorriu e disse: -'Valeu'! Quando ele subiu no oratório, limpou a garganta e começou o discurso: 'A Formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Seus pais, professores, irmãos, talvez até um treinador, mas principalmente aos seus amigos. Eu estou aqui para lhes dizer que ser um amigo para alguém, é o melhor presente que você pode lhes dar.Vou contar-lhes uma história:' Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos. Ele havia planejado se matar naquele final de semana! Contou a todos como havia esvaziado seu armário na escola, para que sua Mãe não tivesse que fazer isso depois que ele morresse e estava levando todas as suas coisas para casa.
Ele olhou diretamente nos meus olhos e deu um pequeno sorriso. 'Felizmente, meu amigo me salvou de fazer algo inominável!' Eu observava o nó na garganta de todos na platéia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos sobre aquele seu momento de fraqueza. Vi sua mãe e seu pai olhando para mim e sorrindo com a mesma gratidão.
Até aquele momento eu jamais havia me dado conta da profundidade do sorriso que ele me deu naquele dia. Nunca subestime o poder de suas ações. Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior. Deus nos coloca na vida dos outros para que tenhamos um impacto, uns sobre o outro de alguma forma. PROCURE O BEM NOS OUTROS!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Programação do ano catequético

PROGRAMAÇÃO

Abertura Oficial - 2º Domingo de Páscoa (19 de abril) nas Dioceses, Prelazias, Paróquias, Comunidades, com criatividade e de forma celebrativa.

Celebração do episcopado pelo Ano Catequético na 47ª Assembléia Geral dos Bispos. (22 a 30 de abril)

3ª Semana Brasileira de Catequese – 6 a 11 de outubro – Indaiatuba(SP), com o Tema: Iniciação à Vida Cristã.

Celebração Dia do/a CATEQUISTA – 30 de agosto, nas paróquias, dioceses e regionais. O regional Sul 1 celebrará este dia no Santuário Nacional de Aparecida.

Encerramento: Domingo de Cristo-Rei (22 de novembro). Em sintonia com o Dia Nacional do Leigo/a.

Objetivo do ano catequético

O objetivo do ano catequético se expressa da seguinte forma: Dar novo impulso à catequese como serviço eclesial e como caminho para o discipulado. A busca de novo impulso à catequese, levando à consciência de que a catequese é uma dimensão de toda ação evangelizadora. Uma ação eclesial só é evangelizadora se também catequiza. Catequese não é portanto uma ação restrita aos ministros da catequese, mas é de todo cristão. Com isso há necessidade de recuperar a concepção de catequese como processo permanente de educação da fé e não somente preparação aos sacramentos ou destinada somente às crianças.
Do site da CNBB.

Ano Catequético é para toda a Igreja

ANO CATEQUÉTICO É PARA TODA A IGREJA:
O Ano Catequético é para toda a Igreja, não quer ser um evento isolado, se insere no processo de recepção do Documento de Aparecida, nas novas Diretrizes da Igreja no Brasil DGAE (2008-2011); no Sínodo sobre a Palavra; no 12° Intereclesial de Cebs e Campanha da Fraternidade. Enfim, quer impulsionar e dinamizar toda a caminhada pastoral da Igreja: Dioceses, Prelazias, Paróquias, comunidades, pastorais e movimentos. Diante disso, os Bispos, os Párocos, primeiros responsáveis pela catequese, juntamente com os agentes de pastorais leigos, de modo especial, os catequistas, são conclamados a dinamizar as atividades propostas para este evento, ao longo do ano e que terá seu ponto alto com a realização da 3ª Semana Brasileira de Catequese.

Do site da CNBB.

Por que um ano catequético?

Ano Catequético Nacional - 'Catequese, caminho para o Discipulado'

POR QUE UM ANO CATEQUÉTICO:
A Igreja ao celebrar 50 anos do primeiro Ano Catequético, quer dar continuidade e dinamismo ao movimento catequético e fazer com que todas as Dioceses, Paróquias e comunidades sejam de fato comunidades catequizadoras, cuja centralidade é a formação para o discipulado. Neste sentido, a 44ª Assembléia Geral dos Bispos (2006) aprovou por unanimidade a realização de um Ano Catequético. A iniciativa é resultado da importância e valorização que a Igreja vem dando à CATEQUESE, como ficou expresso no processo de elaboração do Diretório Nacional de Catequese (DNC – 2002 a 2005); e também na V Conferência de Aparecida. Sem o impulso da catequese não há como formar discípulos missionários.
O documento Catequese Renovada publicado em 1983 foi um grande impulso para uma catequese bíblica centrada no princípio fé/vida. Foi muito bem operacionalizado pela linha 3 da CNBB, através de uma coordenação nacional. Nessa onda de renovação surgiram as semanas brasileiras de Catequese, a primeira em 1986, com o tema “Fé e Vida em Comunidade” e a segunda, em 2001, com o tema “Com Adultos, Catequese Adulta”.
O Ano Catequético Nacional em 2009, com a realização da 3ª Semana Brasileira de Catequese de 6 a 11 de outubro em Itaici-SP, cujo tema é “Iniciação à Vida Cristã”, vem consolidar esta caminhada e apontar luzes e pistas para os novos desafios da realidade.

Mensagens e Pensamentos

Mensagens e pensamentos
"O amor é o perfume das almas.""Só as grandes humilhações nos levam ao recesso último de nós mesmos, lá onde as fontes interiores nos banham de luz, de alegria e de paz.""Se eu dou comida a um pobre, me chamam de santo, mas se eu pergunto por que ele é pobre, me chamam de comunista.""Basta que um botão erre de casa para que o desencontro seja total."
"Um sonho sonhado sozinho é apenas um sonho. Um sonho sonhado juntos é o princípio de uma nova realidade."

Quem foi D. Hélder Câmara

Dom Hélder Câmara (Fortaleza, 7 de fevereiro de 1909Recife, 28 de agosto de 1999) foi um bispo católico, arcebispo emérito de Olinda e Recife. Foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, grande defensor dos direitos humanos durante o regime militar brasileiro e integralista. Pregava uma igreja simples voltada para os pobres e a não-violência. Por sua atuação, recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais. Foi indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz.

Explicação do cartaz da CF 2009

O conceito principal da imagem é mostrar que a paz pode ser
conseguida em qualquer nível cultural ou econômico e que a cultura é
uma forte ferramenta para a conquista da paz e da justiça.
A perspectiva da foto tem como objetivo ilustrar que o acesso à
cultura pode trazer mudanças, por isso, na parte mais ao fundo da
imagem podemos perceber que há lixo jogado, representando uma
vida bagunçada e sem sentido. Que é deixado para trás.
O jovem da foto é um convite para que se crie condição para a
promoção de uma cultura da paz fundamentada na justiça social e
iluminada pelo Evangelho e pelos valores cristãos.
A foto em preto e branco realça a característica da cena
retratada, dando emoção ao momento captado e enfocando a
seriedade, o que leva a reflexão sobre o conteúdo. Deixar apenas o
livro colorido tem como objetivo destacar a leitura e a cultura como
forma de combate à violência.

Cartaz da CF 2009


Hino da CF 2009

1. Ó povo meu, chegou a mim o teu lamento,
Conheço o medo e a insegurança em que estás.
Eu venho a ti, sou tua força e teu alento.
Vou te mostrar caminho novo para a paz

Refr.: Onde pões tua confiança?
Segurança, quem te traz?
É o amor que tudo alcança;
Só a justiça gera a paz!

2.Quando o direito habitar a tua casa,
Quando a justiça se sentar à tua mesa,
A segurança há de brincar em tuas praças;
Enfim, a paz demonstrará sua beleza

3. A segurança é vida plena para todos:
Trabalho digno, moradia, educação;
É ter saúde e os direitos respeitados;
É construir fraternidade, é ser irmão.

4. É vão punir sem superar desigualdades;
É ilusão só exigir sem antes dar.
Só na justiça encontrarás tranquilidade;
Não-violência é o jeito novo de lutar.

5. É como teia de aranha, a segurança (Jó 8,14)
De quem confia só nas armas, no poder.
Não é violência, não são grades ou vingança
Que irão fazer paz e justiça florescer.

6. Eu desposei-te no direito e na justiça;
Com grande amor e com ternura te escolhi. (Os 2,18)
Como aceitar o desrespeito, a injustiça,
A intolerância e o desamor que vêm de ti?!

A CNBB publicou o Texto-Base

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil publicou o Texto-Base da Campanha da Fraternidade para o ano 2009. A Campanha da Fraternidade terá como tema: “Fraternidade e segurança pública” e como lema: “A paz é fruto da justiça”. A CNBB pretende, com esta Campanha, debater a segurança pública, com a finalidade de colaborar na criação de condições para que o Evangelho seja mais bem vivido em nossa sociedade por meio da promoção de uma cultura da paz, fundamentada na justiça social. O Texto-Base é um livro de enorme valor analisando minuciosamente o problema da segurança pública em nosso país. O livro aborda as origens do conflito, os tipos de conflito e indica caminhos para a superação de conflitos. Há um capítulo fascinante sobre os tipos de violência como, por exemplo: violência estrutural, física, simbólica e no meio familiar.Aborda o problema da violência contra o nascituro e sua mãe, a violência e os grupos sociais, a violência do racismo, no campo, contra os povos indígenas, a violência no trânsito, a violência contra a natureza etc. Aborda também a violência contra os defensores de direitos humanos, a violência policial e a violência contra os policiais.O objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2009 “é suscitar o debate sobre a segurança pública e contribuir para a promoção da cultura da paz nas pessoas, na família, na comunidade e na sociedade, a fim de que todos se empenhem efetivamente na construção da justiça social que seja garantia de segurança para todos”.A Campanha tem oito objetivos específicos:1 - Desenvolver nas pessoas a capacidade de reconhecer a violência na sua realidade pessoal e social, a fim de que possam se sensibilizar e se mobilizar, assumindo sua responsabilidade pessoal no que diz respeito ao problema da violência e à promoção da cultura da paz;2 - Denunciar a gravidade dos crimes contra a ética, a economia e as gestões públicas, assim como a injustiça presente nos institutos da prisão especial, do foro privilegiado e da imunidade parlamentar para crimes comuns;3 - Fortalecer a ação educativa e evangelizadora, objetivando a construção da cultura da paz, a conscientização sobre a negação de direitos como causa da violência e o rompimento com as visões de guerra, as quais erigem a violência como solução para a violência;4 - Denunciar a predominância do modelo punitivo presente no sistema penal brasileiro, expressão de mera vingança, a fim de incorporar ações educativas, penas alternativas e fóruns de mediação de conflitos que visem à superação dos problemas e à aplicação da justiça restaurativa;5 - Favorecer a criação e a articulação de redes sociais populares de políticas públicas com vistas à superação da violência e de suas causas e à difusão da cultura da paz;6 - Desenvolver ações que visem à superação das causas e dos fatores de insegurança;7 - Despertar o agir solidário para com as vítimas da violência;8 - Apoiar as políticas governamentais valorizadores dos direitos humanos. (cf. p. 16 do Texto-base). O Texo-Base menciona o fato que existem determinadas situações de violência que, embora formalmente condenadas, entraram no critério da normalidade, de tal modo que são praticadas quase impunemente, algumas contando com a conivência das autoridades e da sociedade em geral. Nestas situações podemos incluir o universo das drogas, o tráfico humano, a exploração sexual e a violência no mundo do trabalho. Considero de grande importância o trecho do T-B que trata de políticas de prevenção ao crime. Esta parte do livro é dividida em três frentes principais, seguindo a orientação de criminologistas:a) a prevenção primária destinada a evitar o cometimento de crimes;b) a prevenção secundária destinada a reprimir o cometimento de crimes, partindo do princípio de que a segurança primária falhou e precisa ser melhorada, (tem a ver com a política legislativa e com a atuação do sistema penal); ec) a prevenção terciária que se destina a recuperar aqueles que foram colhidos pelo sistema penal oferecendo-lhes oportunidades de recuperação e ressocialização. Considero a campanha do ano 2009 uma das mais importantes das 46 Campanhas da Fraternidade apresentadas pela CNBB até agora, porque vai abordar um dos problemas mais sérios e complexos da atualidade.Pascom da Arquidiocese de Fortaleza
Do site: www.cnbb.org.br

Oração da Campanha da Fraternidade 2009

Oração
Bom é louvar-vos, Senhor, nosso Deus,
que nos abrigais à sombra de vossas asas,
defendeis e protegeis a todos nós, vossa família,
como uma mãe, que cuida e guarda seus filhos.

Nesse tempo em que nos chamais à conversão,
à esmola, ao jejum, à oração e à penitência,
pedimos perdão pela violência e pelo ódio
que geram medo e insegurança.
Senhor, que a vossa graça venha até nós
e transforme nosso coração.

Abençoai a vossa Igreja e o vosso povo,
para que a Campanha da Fraternidade
seja um forte instrumento de conversão.
Sejam criadas as condições necessárias
para que todos vivamos em segurança,
na paz e na justiça que desejais.
Amém.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A Missa e seu significado



“Pegando o cálice, deu graças e disse: 'Tomai este cálice e distribuí-o entre vós (...) Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: 'Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim'. Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: "Este cálice é a nova aliança em meu sangue, que é derramado por vós...".(Lc 22, 17-20)Nessa ocasião Jesus celebrou a primeira missa. É importante notar que o Senhor pede que o cálice seja distribuído entre todos; é a partilha, a comunhão entre os presentes. Depois, Jesus diz “isto é”. Ele não disse isto representa ou significa, mas disse bem claramente “é”. Neste momento, no mundo inteiro é celebrada uma missa onde o pão é transformado no Corpo de Cristo e o vinho transformado em Seu Sangue, pelo poder do Espírito Santo.O grande milagreA Missa é a maior, a mais completa e a mais poderosa oração da qual dispõe o católico.Entretanto, se não conhecemos o seu valor e significado e repetimos as orações de maneira mecânica, não usufruiremos os imensos benefícios que a missa traz.Lembremo-nos, antes de qualquer coisa, de que somos convidados especiais. Jesus convida a cada um de nós em particular para esta festa. Preparemo-nos, portanto, de um modo muito mais cuidadoso do que para qualquer outra festa, porque nesse caso o anfitrião é Deus em pessoa.Ao entrar na Igreja, saibamos dar valor à graça de Deus que nos trouxe ao momento presente, abrindo nosso coração na certeza de que Deus nos ama. Ao entrar, é também importante persignar-se com água benta, pois essa é uma maneira de recordarmos o nosso Batismo e invocar a proteção e a bênção do Senhor.A Missa é para todos, mas a maneira de cada um participar pode ser diferente. Depende da fé que as pessoas têm. Existe quem vem à Missa para fazer pedidos a Deus, outros apenas para cumprir uma obrigação e outros com alegria e fé, para louvar e bendizer a Deus. E você porque veio à Missa? (pausa)Reflitamos um pouco mais sobre a forma de como cada um participa da Missa lendo a seguinte história: Numa certa cidade, uma bela catedral estava sendo construída. Ela era inteiramente feita de pedras, e centenas de operários moviam-se por todos os lados para levantá-la. Um dia, um visitante ilustre passou para visitar a grande construção. O visitante observou como aqueles trabalhadores passavam, um após o outro, carregando pesadas pedras, e resolveu entrevistar três deles. A pergunta foi a mesma para todos. - O que você está fazendo? - Carregando pedras, disse o primeiro. - Defendendo meu pão, respondeu o segundo. Mas o terceiro respondeu:- Estou construindo uma catedral, onde muitos louvarão a Deus, e onde meus filhos aprenderão o caminho do céu. Essa história relata que apesar de todos estarem realizando a mesma tarefa, porém a maneira de cada um realizar é diferente. Assim igualmente acontece com a Missa. Ela é a mesma para todos, contudo a maneira de participar é diferente, dependendo da fé e do interesse de cada um: - Existem os que vão para cumprir um preceito; - Há os que vão à Missa para fazer seus pedidos e orações; - E há aqueles que vão à Missa para louvar a Deus em comunhão com seus irmãos.MAS PORQUE IR À IGREJA?O individualismo não tem lugar no Evangelho, pois a Palavra de Deus nos ensina a viver fraternalmente. O próprio céu é visto como uma multidão em festa e não como indivíduos isolados. A Igreja é o povo de Deus. Com ela Jesus fez a Nova e Eterna Aliança no seu Sangue. A palavra Igreja significa Assembléia. É um povo reunido na fé, no amor e na esperança pelo chamado de Jesus Cristo.A Missa foi sempre o centro da comunidade e o sinal da unidade, pois é celebrada por aqueles que receberam o mesmo batismo, vivem a mesma fé e se alimentam do mesmo Pão. Todos os fiéis formam um só "corpo". São Paulo disse aos cristãos: "Agora não há mais judeus nem grego, nem escravo, nem livre, nem homem, nem mulher. Pois todos vós sois UM SÓ em Cristo Jesus" (Gl 3,28).

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Faça para o ouro aquilo que você deseja que lhe façam

Faça para o outro aquilo que você
deseja que o outro lhe faça
Um pai levou o filho ao parque de diversões. Lá, chamou a atenção do menino uma placa na qual estava escrita “Sala dos ecos”.
Curioso, o garoto perguntou ao pai o que era “eco”. Levando a criança até o local, o pai lhe explicou: “Meu filho, para tudo o que você disser nesta sala, imediatamente obterá resposta.”
O menino achou aquilo muito interessante e logo entrou na sala, gritando: “Buuurrrrooo!!!” E logo ouviu a resposta: “Buuurrrrooo! Buuurrrrooo!”
O garoto, não gostando do que escutou, revidou: “Feioooo!” E logo veio a resposta: “Feioooo! Feioooo!”
Cada vez mais irritado, o menino foi falando palavrões que voltaram para ele multiplicados. Então, desapontado e quase chorando, o menino pediu ao pai que o levasse embora daquele lugar, pois lá só havia pessoas mal-educadas.
Nesse momento, o pai explicou que o eco só estava repetindo aquilo que ele dizia. E prosseguiu: “Meu filho, se você quiser ouvir coisas boas, diga-as você primeiro.” E o pai começou a dizer: “Lindoooo!!” E o eco respondia: “Lindooooo!!” E em seguida: “Eu te amoooo!!” E ouvia a resposta: “Eu te amo!!”
O menino ficou maravilhado. E o pai completou, dizendo: “A vida e como um eco: devolve-nos aquilo que depositamos nela.”

A vida é como um eco: devemos dar para o outro aquilo que desejamos receber.
Para que sua família se transforme, faça para o outro aquilo que você deseja que o outro lhe faça.
Do livro: Para que minha vida se transforme da Dra. Salete
A CONSTRUÇÃO DO PLANO (Benedito Prado)

Não é esta aqui a natureza que eu quis.
Que tomba indefesa, perdendo a beleza.
Trazendo a tristeza, na terra que eu quis.
Não é esta aí a terra que eu quis.
Desfeita em pedaços por grandes ricaços,
Por mãos criminosas do homem que eu fiz.
Não é este aí o homem que eu quis.
Que vive oprimido, que anda perdido,
Que cai abatido no mundo que eu fiz.
Será que eu falhei? Me digam vocês!
Será que eu pus muita água no mar?
Será que é o calor do meu sol a queimar?
Se acaso é assim, perdão, eu errei!
Agora eu lhes digo o mundo que eu quis:
As estrelas não brigam, o sol não se afasta,
O mar não soçobra na terra que eu fiz.
Agora eu lhes digo o homem que eu quis:
Um homem liberto, fraterno e aberto,
Fazendo da vida um canto feliz.
Será que eu falhei, por ser bom demais?
Será que o Amor, a Justiça e a Paz
Não valem mais nada no mundo que é meu?
Se acaso é assim, perdão, eu errei
COROA DO ADVENTO

O que é

Entre os símbolos do ciclo do natal temos a coroa do advento, que contém uma linguagem do silêncio, mas que fala forte através do círculo, da luz, das cores, dos gestos correspondentes.

Origem

Surgiu na Alemanha, no século dezenove, mais exatamente nas regiões evangélicas, situadas ao norte.
Os colonos, para comemorarem a chegada do natal, a noite mais fria do ano, acendiam fogueiras e sentavam-se ao redor. Mais tarde, não podendo acendê-las dentro de casa, tiveram a idéia de tecer uma coroa de ramos de abeto (uma espécie de pinheiro), enfeitando-a com flores e velas.
No inverno rigoroso dos países frios todas as árvores perdem suas folhas, somente os pinheiros resistem, sendo, dessa forma, um sinal de que a natureza não morreu totalmente.
No início do século vinte, os católicos adotaram o costume de colocar a coroa nas suas igrejas e casas. No Brasil, o uso certamente provém dos missionários que vieram da Alemanha, ou de brasileiros que, tendo conhecido o uso da coroa na Europa, a introduziram nas comunidades.

A forma circular

Sem começo e sem fim. A circularidade está ligada à perfeição. O redondo cria harmonia, junta, une. Lembra ainda para nós, que somos integrantes de um mundo circular, onde o processo do universo e da vida é cíclico: o círculo do ano, do tempo, o ir e vir da história, sempre marcado pela presença daquele que é Luz do mundo.

As velas

Nos países do norte da Europa, durante o inverno, as noites são mais longas que os dias e a luz do sol brilha pouquíssimo, quando não fica totalmente escondido pelas nuvens. Por isso, lâmpadas, velas, são indispensáveis e muito apreciadas. Mesmo para nós que somos cumulados com a luz do sol, a luz da vela tem muito significado.
No advento, a cada domingo, acende-se uma vela da coroa. De uma a uma, a luz vai aumentando, até chegar à grande festa da Luz que proclama Jesus Cristo como Salvador, sol do nosso Deus que nos visita, que arma sua tenda entre nós (cf. Jo 1, 1-14).
Quanto à cor das velas, normalmente é usada a vermelha que, em quase todas as partes do mundo, tem o significado do amor.
No Brasil, somos marcados profundamente pelas culturas indígena e afro, onde o brilho das cores, da festa, da dança, da harmonia com o universo, está presente de uma maneira esplendorosa e reveste as celebrações. Dessa forma temos o costume de utilizar na coroa, velas coloridas, uma de cada cor.

O verde

É sinal de vida. Nem tudo está morto, há esperança. Mesmo nos países tropicais, quando tudo está seco, sedento, com a chuva a vida brota, tudo fica verde e traz a esperança dos frutos e anuncia a vida.

Vem vindo, a libertação...

O advento é marcado pela atitude de espera vigilante a fim de captar todos os sinais que Deus vai nos revelando.
Desde o primeiro domingo, somos interpelados (as) como Isaías, João Batista e Maria, a fortalecer a esperança, assumir a história de uma maneira diferente, lutar para por fim a uma cultura de morte e proclamar com atos e palavras que a vida é mais forte. De domingo a domingo vai crescendo em nós, na comunidade, no universo inteiro, a certeza de que a luz brilha nas trevas e que Deus nos ama a tal ponto que se faz gente como nós. E assim, o dom vai crescendo em nós e nos tornando capazes de ir ao encontro das outras pessoas, de esparramar no mundo a solidariedade, a esperança, a justiça, a paz...
Com certeza, utilizando a coroa nas comunidades, com toda a dimensão simbólica que ela contém, será sinal que nos ajudará a “enxergar” e a experienciar mais profundamente todo o sentido da espera do Salvador.

O acendimento da coroa

É preciso preparar antecipadamente a coroa no local da celebração.
No material utilizado, usar de preferência o natural. É preciso prevalecer a verdade dos sinais.
Também na decoração da coroa, não usar muito brilho, pois procedendo dessa maneira estaríamos antecipando a festa da plena luz, que é o natal, e deixando de experimentar a feliz espera da manifestação do Senhor que acontece nas festas do natal.
Sendo o altar símbolo do Cristo, é recomendável não colocar a coroa sobre o mesmo.
(Texto copiado de um panfleto do Apostolado litúrgico, recebido no encontro de preparação do Advento).
O Advento é um dos tempos do Ano Litúrgico e pertence ao ciclo do Natal. A liturgia do Advento caracteriza-se como período de preparação, como pode-se deduzir da própria palavra advento que origina-se do verbo latino advenire, que quer dizer chegar. Advento é tempo de espera d’Aquele que há de vir. Pelo Advento nos preparamos para celebrar o Senhor que veio, que vem e que virá; sua liturgia conduz a celebrar as duas vindas de Cristo: Natal e Parusia. Na primeira, celebra-se a manifestação de Deus experimentada há mais de dois mil anos com o nascimento de Jesus, e na segunda, a sua desejada manifestação no final dos tempos, quando Cristo vier em sua glória.O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Espanha. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI, quando a Igreja Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse para ela como se preparava para a Páscoa. Nesse período, o tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido para quatro domingos, tal como hoje celebramos.


Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, por meio de seu formato circular e de suas cores, silenciosamente expressa a esperança e convida à alegre vigilância. A coroa teve sua origem no século XIX, na Alemanha, nas regiões evangélicas, situadas ao norte do país. Nós, católicos, adotamos o costume da coroa do Advento no início do século XX. Na confecção da coroa eram usados ramos de pinheiro e cipreste, únicas árvores cujos ramos não perdem suas folhas no outono e estão sempre verdes, mesmo no inverno. Os ramos verdes são sinais da vida que teimosamente resiste; são sinais da esperança. Em algumas comunidades, os fiéis envolvem a coroa com uma fita vermelha que lembra o amor de Deus que nos envolve e nos foi manifestado pelo nascimento de Jesus. Até a figura geométrica da coroa, o círculo, tem um bonito simbolismo. Sendo uma figura sem começo e fim, representa a perfeição, a harmonia, a eternidade. Na coroa, também são colocadas quatro velas referentes a cada domingo que antecede o Natal. A luz vai aumentando à medida em que se aproxima o Natal, festa da luz que é Cristo, quando a luz da salvação brilha para toda humanidade. Quanto às cores das quatro velas, quase em todas as partes do mundo é usada a cor vermelha. No Brasil, até pouco tempo atrás, costumava-se usar velas nas cores roxa ou lilás, e uma vela cor de rosa referente ao terceiro domingo do Advento, quando celebra-se o Domingo de Gaudete (Domingo da Alegria), cuja cor litúrgica é rosa. Porém, atualmente, tem-se propagado o costume de velas coloridas, cada uma de uma cor, visto que nosso país é marcado pelas culturas indígena e afro, onde o colorido lembra festa, dança e alegria.Pe. Agnaldo Rogério dos Santos Reitor dos Seminários Filosófico e Teológicoda Diocese de Piracicaba Do site www.catequisar.com.br

O que é a Bíblia?


A Bíblia é um conjunto de 73 livros que revelam a vida de Deus presente na história dos homens. Na Bíblia encontramos a Palavra de Deus expressa pela palavra dos homens, revelando o projeto de Deus, que transforma a história e a leva em direção à liberdade e à vida plena para todos.

A Bíblia é conhecida por vários nomes: Bíblia Sagrada, Livro Santo, Sagradas Escrituras, Palavra de Deus.

Foi escrita durante um período de aproximadamente 1600 anos, mais de 40 gerações, por cerca de 40 autores, das mais diferentes atividades, tais como: reis, camponeses, filósofos, pescadores, poetas, estadistas, estudiosos, etc.: Moisés, um líder político: Pedro, um pescador: Amós, um boiadeiro, Josué, um general; Neemias, um copeiro; Daniel, um diplomata; Lucas, um médico; Salomão e Davi (reis e poetas); Mateus (cobrador de impostos); Paulo (rabino); Esdras (escriba e sacerdote).
Foi escrita em diferentes lugares: no deserto; numa masmorra; nos palácios de Susã, na Pérsia; nas prisões; em viagens; numa ilha, exilado.
Escrita em três continentes: Ásia, África e Europa. Em três idiomas: hebraico, aramaico e grego.

A Bíblia cristã é dividida em duas partes: o Antigo e o Novo Testamento. Podemos também dizer: Antiga e Nova Aliança.

O Antigo Testamento é uma coleção de 46 livros onde encontramos a história de Israel, o povo que Deus escolheu para com ele fazer uma aliança. Portanto, o AT é a história de um povo: mostra como surgiu, como viveu escravo no Egito, como possuiu uma terra, como foi governado, quais as relações que teve com outras nações, como estabeleceu suas leis e viveu a sua religião. Apresenta seus costumes, sua cultura, seus conflitos, derrotas e esperanças.

Os cinco primeiros livros da bíblia fazem parte de um bloco literário denominado Pentateuco:

Gênesis (primeiro livro da Bíblia e retrata as origens do mundo);

Êxodo (a saída do Egito e a experiência do Deus Javé que se compadece com a dor humana);

Levítico ( contém a lei dos sacerdote da tribo de Levi);

Números (recolhe um conjunto de leis que procuram contribuir para a solução dos problemas surgidos) e

Deuteronômio (ou a “segunda lei”). Os judeus chamam essa parte da Bíblia com o nome de Torá, que significa Lei.

Depois vem os Livros Históricos (16) que ocupam a maior parte do AT. Neles encontramos a história de Israel e do judaísmo, desde a conquista da terra prometida até quase a época do NT: Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis. Formam um relato mais ou menos contínuo, apresentando a história do povo desde a conquista da terra até o exílio na Babilônia; 1 e 2 Crônicas, Esdras e Neemias: abarcam o tempo do pós-exílio babilônico até os meados do séc. III a.C; Rute, Tobias, Judite e Ester. Mais do que história propriamente dita, esses livros são narrativas; 1 e 2 Macabeus. Relatam a resistência heróica de um grupo de judeus diante da dominação estrangeira que ameaçava destruir a identidade cultural e religiosa da comunidade judaica.

Logo após vem os Livros Sapienciais, que é o nome dado a cinco livros do AT: Provérbios, Jó, Eclesiastes, Eclesiásticos e Sabedoria. A esses são acrescentados dois livros poéticos: Salmos e Cântico dos Cânticos, que apresentam a sabedoria e a espiritualidade de Israel.

Para encerrar o AT vem os Livros Proféticos (18), que testemunham a vida e atividade de homens que possuem fé profunda e vigorosa e procuram levar o povo a um relacionamento sempre renovado e responsável com o Deus que julga e salva. Podem ser dividido em profetas maiores e profetas menores. Não porque uns sejam mais importantes que outros, mas simplesmente pela extensão de seus escritos.

Os maiores são quatro; Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel; os menores são treze: Baruc, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias; As Lamentações é atribuída ao profeta Jeremias.

O importante, porém, é que o AT é a história desse povo em aliança com Deus. O AT mostra como esse povo se comportou em relação a Javé, e qual é o projeto que Deus quis realizar no meio da humanidade através desse povo. Esse projeto aparece bem claro nesses livros: considerar somente Deus como o Absoluto, para que as relações entre as pessoas possam ser fraternas e ter como centro a liberdade e a vida.
Vendo como esse povo (Israel) foi fiel ou não a esse projeto e como Deus agiu no meio dele, poderemos nos aproximar com mais compreensão da outra parte da Bíblia, chamada Novo Testamento.

O Novo Testamento ou Nova Aliança é a parte da Bíblia onde encontramos o anúncio da pessoa de Jesus Cristo. Sua mensagem central é o próprio Filho de Deus, que veio ao mundo para estabelecer a aliança definitiva entre Deus e os homens. Jesus, o Filho de Deus, se encarnou na terra e na história concreta do povo de Israel, assumindo sua história, tradições, cultura e religião. Bem cedo a comunidade cristã percebeu que Jesus havia realizado todas as promessas, trazendo o Reino de Deus para a história. E foi com a luz do AT que os primeiros cristãos compreenderam o significado da pessoa e da atividade de Jesus e produziram, pouco a pouco, os escritos do Novo Testamento.

A mesma tarefa cabe a nós: ler e meditar o AT, a fim de compreender a pessoa de Jesus e continuar a sua palavra e ação na história.

O NT agrupa vinte e sete livros, conformes temas e estilos diferentes: Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Cartas e Apocalipse.

Os Evangelhos são quatro formas de anunciar Jesus, escritas no ambiente de comunidades diferentes;

Os Atos dos Apóstolos são a segunda parte do evangelho de São Lucas e mostram como o anúncio de Jesus e a formação das comunidades cristãs se expandiram, chegando a Roma, centro do mundo naquela época;

As cartas ou epístolas são escritos dirigidos às primeiras comunidades cristãs;

o Apocalipse de são João é livro escrito em linguagem figurada, porque se dirige aos cristãos em tempo de perseguição. Apresenta Jesus Ressuscitado como Senhor da história, e mostra como os cristãos devem anunciá-lo e testemunhá-lo sem medo, enfrentando até mesmo a própria morte.

A Bíblia é mais que um livro, ela é a Palavra de Deus e só vai ter sentido na nossa vida quando passarmos a dar o devido valor.
DEUS É AMOR

O que é amor? Amor é aquilo que se faz. Amar não é como você se sente em relação aos outros, mas como se comporta em relação aos outros. Nós usamos uma única palavra para definir as várias formas de amor. Amor fraternal, amor entre amigos, amor entre homem e mulher e amor de Deus.
Na Grécia antiga usava-se várias palavras: EROS – amor entre o casal, atração entre homem e mulher; ESTOGÉ – amor que doa, mas quer receber também, amor recíproco; PHILIA – amor fraternal e ÁGAPE – o grande amor de Deus, amor sem nenhum interesse, amor incondicional.
O Eros de Deus pelo homem é totalmente ágape. E não só porque é dado de modo totalmente gratuito, sem mérito algum precedente, mas também, porque é amor que perdoa.
“Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele”(1 Jo 4, 16).Estas palavras expressam, com singular clareza, o centro da fé cristã, a imagem cristã de Deus e também a conseqüente imagem do homem e do seu caminho. O amor é a essência de Deus, e esta essência Ele mesmo revelou aos homens ao longo da História da Salvação, especialmente na Pessoa de Jesus Cristo, Deus feito homem.
Amor é doação de si mesmo a um outro, e uma doação que não se restringe às pessoas que nos amam, mas que se abre a todos os seres humanos. Esse é o caminho do verdadeiro amor. Mas esse amor só pode ser vivido em toda a sua plenitude quando o homem encontra a Cristo, que se entregou a nós por esse amor.
Há uma ligação indivisível entre o amor a Deus e o amor ao próximo: um exige tão estreitamente o outro que a afirmação do amor a Deus se torna uma mentira, se o homem se fechar ao próximo ou, inclusive, o odiar. O amor ao próximo é uma estrada para encontrar também a Deus, e o fechar os olhos diante do outro nos torna cegos também diante de Deus. Somente o serviço ao próximo abre os meus olhos para aquilo que Deus faz por mim e para o modo como Ele me ama.
Dado que Deus foi o primeiro a amar-nos (cf 1 Jo 4, 10), agora o amor já não é apenas um “mandamento”, mas é a resposta ao dom do amor com que Deus vem ao nosso encontro.
“Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor vem de Deus. E todo aquele que ama, nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque DEUS É AMOR(1 Jo 4, 7 – 8).
Na Encíclica escrita pelo Papa Bento XVI, Deus caritas est (Deus é amor), ele deseja falar do amor com que Deus nos cumula e que deve ser comunicado aos outros por nós. Ele começa lembrando a todos que “ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande idéia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte, e desta forma, o rumo decisivo”.

Dez coisas que levamos anos para aprender

Dez coisas que levamos anos para aprender (Luis Fernando Veríssimo)
1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom ou empregado, não pode ser uma boa pessoa. (Esta é muito importante. Preste atenção, nunca falha)
2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas. (Tá cheio de gente querendo te converter!)
3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance. (Na maioria das vezes quem tá te olhando também não sabe! Tá valendo!)
4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca. (Deus deu 24 horas em cada dia para cada um cuidar da sua vida e tem gente que insiste em fazer hora-extra! )
5. Não confunda sua carreira com sua vida. (Aprenda a fazer escolhas!)
6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite. (Quem escreveu deve ter conhecimento de causa!)
7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria 'reuniões'. (Onde ninguém se entende... Com exceção das reuniões que acontecem nos botecos...)
8. Há uma linha muito tênue entre 'hobby' e 'doença mental'. (Ouvir música é hobby... No volume máximo as sete da manhã pode ser doença mental!)
9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito. (Que bom!!!!!)
10. Lembre-se: nem sempre os profissionais são os melhores. Um amador construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic. (É Verdade mesmo!!!) 'Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que outra pessoa morra.'

Partes da Missa

MISSA

RITOS INICIAIS (1aparte)
(em pé)
No inicio da celebração Eucarística costuma-se realizar uma procissão de entrada com um canto inicial.Podemos dizer que a procissão de entrada começa ao sairmos de casa e nos deslocamos para a Igreja,o que deve ser considerado uma grande alegria.
O padre beija o altar,para venerar a Cristo.O altar representa Jesus Cristo.

SINAL DA CRUZ

É o sinal do cristão,o sinal de nossa salvação.Lembra-nos os principais mistérios de nossa fé:unidade e trindade de Deus e Encarnação,Paixão,Morte e Ressurreição de NSJC.
Sempre que vamos iniciar qualquer trabalho,devemos fazer o sinal da cruz:Quando estivermos com medo,antes de comer,etc...

SAUDAÇÃO E ATO PENINTENCIAL

A assembléia é convidada a colocar-se diante de Deus Santo com humildade e confiança, reconhecendo os próprios pecados e pedindo perdão na certeza que será perdoado.

HINO DE LOUVOR

É uma oração com a qual a Igreja louva, adora, bendiz e glorifica as três pessoas da Santíssima Trindade, um só Deus.

LITURGIA DA PALAVRA (2aparte)

É um momento muito importante dentro da celebração.É preciso muita atenção porque Deus nos fala e Ele tem algo para nos dizer. É preciso abrir os ouvidos, a mente e o coração para acolher esta Palavra.
Destaque especial merece a proclamação do evangelho.Ele é aclamado e ouvido em pé, numa atitude de respeito.Segue-se a homilia.Ela nos ajuda a compreender e viver a Palavra de Deus. É preciso acompanha ela atentamente.

CREDO E ORAÇÃO DOS FIÉIS

Credo é a profissão de fé do cristão.Na oração dos fieis a assembléia pede pela Igreja, pelo mundo e, por si e sua família e por outras necessidades intenções (Pedir às crianças para fazerem seus pedidos e dizer;rezemos ao senhor.)
LITURGIA EUCARÍSTICA (SACRAMENTAL) (3aparte)

OFERTÓRIO
Ofertamos o pão e o vinho, que são a matéria do sacrifício eucarístico, “frutos da terra, da videira e do trabalho humano”(Liturgia do Ofertório) são apresentados a Deus.
Com eles, oferecemos nós mesmos a Deus com tudo aquilo que é nossa vida: dores, alegrias, tristezas, trabalhos, vida, morte, etc.

ORAÇÃO EUCARÍSTICA
Na oração eucarística, o padre, em nome de todos, invoca a vinda do Espírito Santo sobre o pão e o vinho. A comunidade reforça o pedido, cantando: “Mandei vosso Espírito Santo!”
Tomando como exemplo a Oração Eucarística III, podemos observar essa outra invocação: “concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito”.Todos cantam: “Fazei de nós um só corpo e um só espírito”.É a consagração da comunidade que vai comungar.Esse momento nos revela que a eucaristia tem uma finalidade primeira: ser alimento transformador da Igreja, para que se torne o próprio corpo de Cristo presente no mundo.
Santo Agostinho nos ensina: “você quer compreender o que é o corpo de Cristo? Escute o que diz o apostolo dos fiéis: ‘Vocês são o corpo de Cristo e cada um é membro desse corpo’(1Cor 12,27). Se vocês são o corpo de Cristo e seus membros, então é o próprio símbolo de vocês que repousa sobre a mesa do Senhor. É o símbolo de vocês mesmos que recebem. Vocês respondem ‘amém’ àquilo que vocês são, e essa resposta marca a adesão de vocês. Você ouve: ‘Corpo de Cristo‘ e responde: ‘amém’. Seja um membro do corpo de Cristo, para que o seu ‘amém’ seja verdadeiro”.
Podemos concluir que o Espírito Santo nos transforma, quando comungamos, naquele que comungamos, naquele que comungamos, para vivermos como Jesus e continuarmos hoje a sua missão.
Ação de graças

Momento de agradecimento, adoração, louvor, petição, união com Deus.Por meio de Eucaristia, Deus está dentro de nós.
Homenagem á MARIA.
RITOS FINAIS (4a parte)

Após a comunhão, temos os ritos finais de Missa, com a benção final e a despedida.Todos partem em missão, levando Deus ao mundo.
Quem participa bem da Missa, cresce espiritualmente porque se alimenta de Deus.

Você é muito importante para mim

VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA MIM

Você é muito importante para mim! Você corre, almoça, trabalha, canta, chora, ama. Você sorri, mas nunca me chama. Você se entristece, depois se acalma, mas nunca me agradece. Você caminha, sobe e desce escadas e não se preocupa comigo. Você tem tudo e não me da nada. Você sente amor, ódio, sente tudo, menos a minha presença. Você tem os sentidos perfeitos, mas nunca os usa por mim. Você estuda e não me entende, ganha e não me ajuda, canta e não me alegra. Você é tão inteligente e não sabe nada sobre mim. Se você está triste, me culpa por isso, mas se está alegre não me deixa participar de sua felicidade. Você faz o que os outros ordenam, mas não faz o que lhe peço com humildade. Se você subiu na vida, pisa nos menos favorecidos, se não subiu descarrega sobre mim sua ira. Você quebra galhos para amigos, mas não tira um espinho da minha testa. Você abaixa os olhos quando um superior lhe fala, mas não levanta esses mesmos quando lhe falo do meu amor. Você defende seu time, seu ator, mas não me defende dos seus amigos. Você não sente vergonha de se despir perante alguém, mas sente vergonha de tirar sua máscara diante de mim. Você é um corpo no mundo e eu sou um mundo em seu corpo. Eu sou alguém que todos os dias bate a sua porta e pergunta: Tem lugar para mim? Na sua casa, na sua vida, no seu coração? Eu estou presente nessas linhas que você por curiosidade começou a ler... Eu sou Jesus Cristo! Quero simplesmente que você me aceite como amigo e me confesse como Senhor e Salvador!
SANT’ANA E SÃO JOAQUIM (26 de julho)

O calendário litúrgico da Igreja Romana comemora no dia 26 de julho a memória de São Joaquim e Sant’Ana que a tradição identifica como pais de Nossa Senhora.
O nome Joaquim é bíblico, e significa “o homem a que Javé confirma”. Há vários personagens no Antigo Testamento com este nome. Com o nome de Ana aparecem três mulheres na Bíblia: a mãe do profeta Samuel; a mulher de Raqüel, parente de Tobias, e a profetisa Ana, que foi ao encontro de Jesus no dia de sua Apresentação ao Templo. Não há notícia deles na sagrada Escritura, contudo, existe um livro venerável do século II do Cristianismo: Proto-Evangelho de São Tiago, que granjeou grande autoridade nas comunidades cristãs primitivas. É exatamente este livro que nos traz a mais antiga tradição sobre os pais de Nossa senhora.
Joaquim e Ana eram um casal distinto, mas viviam tristes e humilhados porque já estavam chegando à idade avançada e eram estéreis. Eram um casal justo e observante das Leis judaicas. Possuíam certa fortuna que lhes proporcionava vida folgada. Dividiam sua rendas anuais em três partes: uma era conservada para as próprias necessidades; a segunda era reservada para o culto judaico e, finalmente, a terceira era distribuída entre os pobres. Eles continuavam rezando confiantes que Deus suscitasse para eles uma descendência. Joaquim retirou-se ao deserto para rezar, onde permaneceu quarenta dias em jejum e oração.
Finalmente, um anjo apareceu a Joaquim comunicando-lhe uma boa notícia:”Joaquim”, disse o anjo, “tua oração foi ouvida. Uma filha te será dada a quem dará o nome de Maria”. Também Ana recebeu um aviso do Anjo: “Ana, Ana, o Senhor ouviu teu choro. Conceberás e dará a luz e, por toda a terra, falar-se-á de tua descendência”.
Ao voltar Joaquim para casa, eis que sua esposa atirou-se em seus braços, exclamando cheia de alegria: “Agora sei que o Senhor derramou sua bênção sobre o nosso lar; pois eu era como uma viúva, era estéril mas agora meu seio já concebeu, seja bendito o Altíssimo”.
Então, fez o voto de consagrar a menina prometida por Deus ao serviço do Templo.
De fato, a menina Maria foi levada mais tarde pelos pais Joaquim e Ana para o Templo, onde foi educada, ficando aí até ao tempo do noivado com São José.
A tradição não dá notícia da morte de Joaquim e Ana. No entanto, o culto deles foi muito difundido na Igreja desde o Século VI. Começou no Oriente e depois passou a Igreja Romana.
Nesse caso, a devoção a Sant’Ana foi muito mais popular. Ela difundiu-se, sobretudo, nos povos nórdicos, onde o nome Ana é mais usado.
Também no Brasil, o culto à Sant’Ana é muito conhecido. Nesse dia também é celebrado o Dia dos Avós.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009