Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Sou católico: Vivo a minha fé - Curso de Formação

Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Casa Forte

Curso de Formação com o prof. Aderson Viana
Tema: Sou católico: Vivo a minha fé
Data: 15/09/12 (sábado)
Local: Sala da Catequese
Horário: 8h30


 “Muitas vezes as pessoas abandonam a religião por não conhecerem a riqueza que temos. Vivemos numa sociedade plural, com muitas concepções, e os fiéis, confrontados com o grande volume de informações e afirmações sobre religião, fé e moral, nem sempre conseguem ter clareza sobre a própria fé. Para fazermos um bom diálogo, é preciso que o católico saiba quem ele é”, disse o arcebispo de Porto Alegre, dom Dadeus Grings.
O que é ser católico?
A resposta à pergunta, de forma direta e clara, está na introdução do livro, entre as páginas 9 e 14. “Ser católico é crer em Deus, Filho e Espírito Santo; é alimentar a fé na fonte da revelação divina, através da Tradição, da Sagrada Escritura e do Magistério da Igreja; é viver a fé como adesão a Jesus Cristo e obediência à sua palavra; é viver a fé como dom de Deus e tudo ofertar para o bem dos irmãos e irmãs”.
Sou católico: vivo minha fé. Foi lançado em 07 de maio de 2007, durante a 45a. Assembleia Geral da CNBB. A Igreja na América Latina estava às vésperas da abertura da V Conferência Geral da CELAM em Aparecida (SP)  e o Brasil recebia a breve visita do Papa Bento XVI, ou seja: era um momento de intensa vida eclesial.
Ele é carregado de uma característica doutrinal e intelectual da fé. Comentando isso, Dom Waldir Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Comissão para a Doutrina que redigiu o texto,  acentuou também seus frutos para a vivência concreta da fé: “nós precisamos como Igreja dar a todos os católicos a oportunidade de melhor conhecer a sua fé, um conhecimento que supõe as verdades da fé, a doutrina que define essa fé, não apenas enquanto apropriação racional, intelectual, mas enquanto um conhecimento que venha produzir nas pessoas uma vivência coerente da fé professada”.
            Tendo nascido dentro do clima da V Conferência de Aparecida, o texto manifesta a preocupação de fazer de todos os católicos, verdadeiros discípulos e missionários de Jesus Cristo, tema da própria V Conferência. Sua redação durou três anos e, a partir da 2ª. edição, houve correções e aperfeiçoamentos, com relação à primeira edição. Foi também submetido à apreciação da Congregação da Doutrina da Fé, um dos grandes departamentos do Vaticano que, como diz o nome, cuida da reta expressão e manifestação da fé.
O texto trata dos seguintes temas:
·         o “ser católico” e sua identidade (Introdução);
·         a revelação divina (cap. I);
·         a nossa fé em Jesus Cristo (verdade sobre Jesus Cristo, a Igreja e o ser humano: cap. II);
·         a celebração do Mistério de Cristo (liturgia, sacramentos, vida cristã sacramental: cap. III);
·         a vida nova em Cristo (elementos de moral cristã: cap. IV);
·         esclarecimento sobre alguns pontos da fé católica (são 25 temas: cap. V);
·         e, por fim, a oração do católico (2 fórmulas de profissão de fé e 25 fórmulas de orações tradicionais, inclusive os mistérios do Rosário (terço) em sua nova forma: cap. VI).
Conclui com boas indicações para a leitura orante da Bíblia e algumas referências para aprofundamento dos temas. Essas referências consistem em citações que remetem aos documentos da Igreja a respeito dos vários temas tratados (documentos do Concílio Vaticano II, Encíclicas Papais, Código do Direito Canônico e, sobretudo do Catecismo da Igreja Católica).
Jornal de Opinião – ed. 942

Nenhum comentário:

Postar um comentário