Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Curso de Liturgia - 1



Estou participando do Curso de Liturgia oferecido pela nossa Paróquia. Toda quinta-feira das 20:00 às 22:00h. Está sendo muito interessante. Por isso pretendo postar aqui o que estou aprendendo lá. Já tivemos duas aulas: Na primeira o professor Creômenes explicou todo o programa das aulas que é o seguinte:Celebração Eucarística - ritos iniciais, liturgia da palavra
Liturgia Eucarística - ritos finais
Principais mudanças promovidas pelo Concilio Vaticano II a liturgia
Introdução a Celebração Eucarística - raízes históricas, evolução, modelo atual
Ministério Litúrgico - noções gerais
Ano Litúrgico - noções gerais
Espaço Litúrgico - noções gerais

Na segunda aula ele começou falando sobre os ritos iniciais da missa.
Na Missa, o povo de Deus é convocado e reunido, sob a presidência do sacerdote que representa a pessoa de Cristo, para celebrar a memória do Senhor ou sacrifício eucarístico. Cristo está realmente presente tanto na assembléia reunida em seu nome, como na pessoa do ministro, na sua palavra, e também, de modo substancial e permanente, sob as espécies eucarísticas. "Onde dois ou mais estão reunidos em meu nome, eu estou no meio deles", disse Jesus em Mt 18,20.
A Missa consta de duas partes: a liturgia da palavra e a liturgia eucarística, que estão tão intimamente ligadas entre si, que constituem um só ato de culto. De fato, na Missa se prepara tanto a mesa da Palavras de Deus como a do Corpo de Cristo, para ensinar e alimentar os fiéis.
Tudo que acontece na Missa tem sua razão de ser. Nenhum gesto é feito por acaso. Tudo tem seu significado e é muito importante saber o que está acontecendo e o por quê.
O canto de entrada tem a ver com o que vai falar o Evangelho.
A procissão de entrada lembra a caminhada do povo de Deus.
O beijo que o padre dá no altar significa o carinho profundo para com o Cristo.
A Missa é um diálogo. O padre fala e a assembléia responde.
A primeira palavra a ser dita pelo padre deve ser: Em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo. A assembléia responde Amém.
RITOS INCIAIS:
Reunido o povo, o sacerdote e os minstros paramentados dirigem-se ao altar na seguinte ordem:
a) o ministro com o turíbulo aceso, quando se usa incenso;
b) os ministros que, se for oportuno, trazem os castiçais e, entre eles, sendo o caso, outros ministros com a cruz;
c) os acólitos e outros ministros;
d) o leitor, que poderá levar o Evangeliário;
e) o sacerdote que vai celebrar a Misssa.
Antes de iniciar a procissão, o sacerdote, se for o caso, põe incenso no turíbulo.

Enquanto se faz a procissão para o altar, canta-se o canto de entrada, cuja finalidade é abrir a celebração, promover a união da assembléia, introduzir no mistério do tempo litúrgico ou da festa, e acompanhar a procissão do padre e dos ministros(não havendo canto de entrada, a antífona proposta pelo Missal é recitda pelos fiéis, ou por alguns deles, ou pelo leitor; ou então, pelo próprio padre, após a saudação).
Chegando ao altar, o sacerdote e os ministros fazem a devida reverência, isto é, inclinação profunda, ou genuflexão, quando houver tabernáculo como Santíssimo Sacramento.
Se a cruz for levada na procissão, será colocada junto ao altar ou noutro lugar apropriado; os castiçais levados pelos ministros serão colocados junto ao altar ou sobre a credência; o Evangeliário, sobre o altar.
O sacerdote sobe ao altar e beija-o em sinal de veneração. Em seguida, se for oportuno, incensa o altar, contornando-o.
Em seguida, o padre dirige-se à cadeira. Terminado o canto de entrada e estando todos de pé, o padre e os fiéis fazem o sinal da cruz. O padre diz: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. O povo responde: Amém.
Voltado para o povo e abrindo os braços(como Cristo na cruz),o padre saúda-o com uma das fórmulas propostas. E ele mesmo, ou outro ministro idôneo, pode, com breves palavras, introduzir os fièis na Missa do dia.
Depois do ato penitencial, dizem-se o Senhor, tende piedade e o Glória. O Glória pode ser iniciado pelo próprio padre, ou pelos cantores ou também por todos ao mesmo tempo.
Em seguida, o padre convida o povo a rezar, dizendo, de mão unidas: Oremos. E todos, juntamente com ele, oram um momento de silêncio. Então o padre, abrindo os braços, diz a Oração do dia. Ao terminar, o povo aclama: Amém.

Até a próxima aula...
fonte: Missal Romano

Nenhum comentário:

Postar um comentário