Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Nossa Sra. do Carmo Co-Padroeira do Recife


No ano de 1909, depois de um grande movimento popular, a Santa Sé reconheceu e proclamou Nossa Senhora do Carmo como Padroeira da Cidade do Recife. Este feito singular marcou até os dias de hoje a religiosidade de nossa cidade e transformou a Festa do Carmo numa das mais fortes e belas expressões da fé do nosso povo. Do alto do seu trono, na Basílica do Carmo, incrustada no coração da Cidade, a Imagem veneranda de Nossa Senhora do Carmo, tão amada pelos recifenses, é o lugar de olhares que se comunicam, de encontros silenciosos que restauram a vida, de desejos e anseios que se transformam em esperança. A Basílica, casa da Mãe da Cidade, é como a tenda que acolhe, alberga, nutre, sustenta e fortalece um povo que, mesmo submerso nas vicissitudes do tempo presente, acredita que outro mundo é possível e não hesitam em viver e testemunhar, sem restrições o Evangelho da Vida.

Durante todo o ano, peregrinos acorrem à casa da Mãe, com o coração agradecido e transbordante de alegria, pela sua indissolúvel presença na vida do Corpo Místico de Cristo que é a Igreja como animadora da fé e da missão. O encontro com a Imagem da Mãe, no coração da cidade, é ocasião para renovar o amor àquela que a Igreja apresenta ao fiéis como modelo permanente de fidelidade a Cristo. A devoção autêntica à Virgem Maria “não consiste em sentimentalismo estéril e passageiro ou em vã credulidade, mas procede da fé verdadeira que nos leva a reconhecer a excelência da Mãe de Deus e nos incita a um amor filial para com a nossa Mãe, e à imitação das suas virtudes”. (Vaticano II). Imitando-a, os cristãos serão capazes de desenhar caminhos de fidelidade a Cristo e abrir os corações àquela conversão necessária, sem a qual, torna-se estéril o testemunho. A Virgem Maria anima a fidelidade, socorre com o seu auxílio maternal aqueles que estão afligidos e nutre a Igreja a na sua aventura de fé. «Vindo a Ela o Espírito Santo, encheu-a de graça para Ela mesma; inundando-A novamente o mesmo Espírito, Ela tornou-se superabundante e transbordante de graça também para nós». (São Bernardo)

Em sintonia com a Igreja que, em sua história, caminhou sempre iluminada pela presença edificante da Virgem Maria, o encontro com Ela deve se transformar em autêntica e profunda renovação na fé em Cristo e de compromisso com a obra da evangelização Ela, Mãe e Mestra, a partir do coração da Cidade, olha com carinho para o Recife, sobretudos para os pobres e pequenos, preferidos de Jesus e faz de nossa Igreja, um sinal de esperança e de vida para o mundo.

do site:www.festadocarmo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário