Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

SACRAMENTO DO BATISMO




“Os Sacramentos foram instituídos por Cristo e são sete: o Batismo, a Confirmação ou Crisma, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio. Eles atigem todas as etapas e todos os momentos importantes da vida de Cristo: dão à vida de fé do cristão origem e crescimento, cura e missão.Nisto existe certa semelhança entre as etapas da vida natural e as da vida espiritual”. (CIC)

Os Sacramentos são os sinais visíveis da realidade invisível da salvação que eles significam. Porque são dom de Deus, realizam o que significam: por eles, recebemos o dom da graça, quer dizer, a própria vida de Deus.

O Batismo é a sala de entrada da vida cristã. É o fundamento da vida de seguimento de Cristo e abre a porta para todos os outros sacramentos

Quando João Batista batizou Jesus, no Rio Jordão, o céu se abriu e ouviu-se a voz de Deus dizendo: “Este é meu filho amado, que muito me agrada.” Mt 3,16-17

Podemos dizer que, após o batismo, Jesus começou sua missão na terra. Nós também, com o batismo, comprometemo-nos a fazer o que Jesus fez e ensinou: anunciar o Reino de Deus. Com o batismo, iniciamos uma nova vida e tornamo-nos filhos queridos de Deus, assim como Jesus.

“Batizar – quer dizer “mergulhar”. Mergulhado(batizado) na morte para a salvação do mundo(cic 1225). Jesus deu-nos o Batismo no Espírito, a fim de que todos os homens possam renascer da água e do Espírito para entrar no Reino de Deus(Jo 3, 5).
Os ministros ordinários do Batismo são o bispo, o sacerdote ou o diácono. Em caso de necessidade grave, qualquer pessoa, mesmo não estando batizada, pode administrá-la, desde que queira fazer o que faz a Igreja(cic 1256).
Só se batiza uma única vez. Não se pode revogá-lo, nem reiterá-lo, porque imprime no cristão um selo espiritual definitivo da sua pertença a Cristo(cic 1272).

Instituição do Bat(Mt 28, 18 – 20)
“Disse Jesus: “Toda a autoridade foi dada a mim no céu e sobre a terra. Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês. Eis que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo.”

O significado e a graça do sacramento do Batismo aparecem com clareza nos ritos de sua celebração. É acompanhando, com uma participação atenta, os gestos e as palavras desta celebração, que os fiéis são iniciados nas riquezas que este sacramento encerra e realiza em cada batizado.
O sinal da cruz, no início da celebração, assinala a marca do Cristo àquele que vai pertencer-lhe e significa a graça da redenção que Cristo nos adquiriu pela sua cruz.

O anúncio da palavra de Deus, ilumina com a verdade revelada os candidatos e a assembléia, e suscita a resposta da fé, inseparável do batismo.

A água batismal – É a água que tomamos que percorrendo todo o nosso corpo através do nosso sangue, leva embora todas as impurezas e tudo o que é ruim para a nossa saúde. Sem a água viva do Batismo não podemos viver e ser eternamente felizes. A água purifica nossa alma, fazendo-nos cidadãos do céu. O Batismo é realizado de maneira mais significativa pela tríplice imersão na água batismal. Mas desde a antiguidade ele pode ser conferido derramando-se, por três vezes, a água sobre a cabeça do candidato.

. A unção com o santo óleo, consagrado pelo Bispo, significa o dom do Espírito Santo ao novo batizado. Este tornou-se um cristão, isto é, “ungido” do Espírito Santo, incorporado a Cristo. Como o óleo penetra na pele da criança, assim Cristo penetra na vida da pessoa.


. A veste branca simboliza que o batizado “vestiu-se de Cristo”(Gl 3,27): ressuscitou com Cristo.

. A vela, acesa no círio pascal, significa que Cristo iluminou o neófito. Em Cristo, os batizados são a luz do mundo”(Mt 5, 14).

Além do Batismo de água, há também dois outros tipos: o Batismo de desejo (quando uma pessoa morre sem ser batizada, mas seus pais ou ela própria desejavam o Batismo); e o Batismo de sangue(quando uma pessoa ainda não batizada é martirizada por causa de Cristo).

Fé e Batismo

O Batismo é o sacramento da fé. Em todos os batizados, crianças ou adultos, a fé deve crescer após o Batismo. O Batismo é como uma semente que se planta, mas, que ao longo dos tempos, deve ser cultivada para que cresça e produza. Caso contrário, de nada adianta. Assim também é a semente do Batismo: se não for cultivada no dia a dia na oração, na fé, na participação, na vivência em Deus, será uma semente choca, não germinada. É por isso que a Igreja celebra cada ano, na noite pascal, a renovação das promessas batismais. A preparação para o Batismo leva apenas ao começo da vida nova. O Batismo é a fonte da vida nova em Cristo, fonte esta da qual brota toda a vida cristã(cic 1254).
Para que a graça do Batismo possa desenvolver-se, é importante a ajuda dos pais. Este é também o papel do padrinho e da madrinha, que devem ser cristãos firme, capazes e prontos para ajudar o novo batizado na sua caminhada na vida cristã”(cic 1255).
Mas esse papel nem sempre é compreendido. Há muita gente que pensa que os padrinhos são para dar presentes e dinheiro. Sua missão é mais espiritual. Por isso a Igreja exige que sejam batizados, crismados, já tenham feito a 1ª Eucaristia e sejam de fato gente de Igreja

Todas as pessoas batizadas são chamadas pra a missão.
Pelo batismo somos sepultados(mergulhados na fonte) com Cristo e na sua morte, ressuscitados, plenos de vida (Rm 6, 1 – 11).

Muitas pessoas afirmam que não se deve batizar crianças, porque elas não têm o uso da razão. A Igreja católica tem uma tradição diferente de outras igrejas. Desde os primeiro séculos foi costume batizar crianças.
Este costume está em perfeita harmonia com a Bíblia. Em toda a Escritura vemos como a fé dos pais santifica os filhos, mesmo crianças. O menino Samuel foi santificado, aos 3 anos de idade, pela fé profunda de seus pais Élcana e Ana(1 Sm 1, 19 – 28). O mesmo aconteceu com João Batista, santificado antes do nascimento pela presença de Maria (Lc 1, 41 – 44). Por esses dados de fundamentação bíblica, podemos ver que não é preciso esperar que a criança chegue à idade adulta e tenha o uso da razão, para ser batizado. A fé dos pais é suficiente para que toda a família receba a graça de Deus.
Se os pais são responsáveis perante Deus pelo sustento, proteção, educação, amparo, etc... de seus filhos, quanto mais seriam pelo bem espiritual.
O Batismo apaga o pecado original, opera o perdão dos pecados, torna-nos filho de Deus, irmãos de Jesus, membros da Igreja. Somos irmãos e irmãs uns dos outros e podemos dizer de verdade: “Pai nosso que estais no céu...”

ORAÇÃO - Jesus, ajude-nos a ser fiéis ao nosso batismo; ajude-nos a ser verdadeiros cristãos todos os dias, em casa, na escola, na comunidade, no trabalho, nas brincadeiras e no catecismo. Amém

Fontes: Catecismo da Igreja Católica, site catequisar, Livro do Catequista da Ed. Paulus e Bíblia Sagrada

3 comentários:

  1. Opa muito bom o blog... sou auxiliar de catequista da minha Paróquia as informações sobre os Sacramentos me ajudaram bastante. Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Conteúdo maravilhoso, me ajudou muito na preparação da aula de Catequese sobre BATISMO, continuem a publicar conteúdos assim PARABÈNS

    ResponderExcluir