Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A Pesca desafiadora da Catequese


Bruno Luã da Silva Galvão

Qual o direcionamento exato para lançar a rede que fisgue novos catequistas que assumam a sua vocação até então não percebida? E que...como também se responsabilizem no compromisso de batizados sendo agentes evangelizadores na missão da Igreja?

Que pescaria árdua e desafiadora para a Igreja, e de modo mais particular a catequese!

Mas, tal questionamento seria uma inquietação primordial para nossa reflexão, já que há uma gigantesca escassez de catequistas em nossas paróquias de diversas realidades sociais, ora encarada nos grandes centros urbanos, ora nas periferias.

Mas, como encarar a realidade de poucos catequistas para um imenso mar de catequizandos que encontram na Igreja um suporte de orientações e esclarecimentos que os ajudam a crescer espiritualmente em sua fé?

Primeiramente, o alvo eficaz para essa solução seria a juventude que, com sua juvenilidade, seu poder criativo, sua dinamicidade – características da catequese renovada - despertaria e facilitaria o entendimento dos mistérios da fé para nossas crianças.

Aqui esclareço que defendo uma catequese direcionada pela juventude. Não implica dizer que estou desvalorizando ou menosprezado os catequistas adultos. Mas apresento os desafios existentes, pois os catequistas jovens serão amanhã os catequistas adultos.

Trazer os jovens para a caminhada de vida pastoral, em época que a sociedade entrelaçada com seu pós-modernismo possui um vasto leque de opções disponíveis aos jovens, oferecendo-lhes elementos para o consumo de satisfações passageiras desenfreadas e exacerbadas, requer firme mobilização de toda a Igreja e esforços dos pastores, a ajudarem esses jovens a perceberem e enxergar a realidade os quais estão inseridos, para que não percam o sentido de viver.

Ora, a sociedade constantemente lança redes de instrumentos para atraírem os jovens, transformando-os em ímpios dependentes e prisioneiros. Os modernos celulares, computadores, carros, ritmos de festas diversos, sites de relacionamentos, entre outros, são alguns de milhares meios que a sociedade encontra para fisgar jovens para o “seu” mundo, estabelecendo assim uma sociedade individualista. Como também dificultando a imersão da juventude na Igreja, que está dopado pelas ferramentas da pós-modernidade.

Parece o que foi dito, seja um amontoado de “palavreado” corriqueiro. Na verdade, retrata a pura realidade e que é preciso ter um olhar especial. E neste entrelaçado de coisas onde fica a catequese? Em meio à desafiante pesca por catequistas jovens incumbidos de evangelizar crianças e conduzi-las para uma missão na Igreja, compete a cada um de nós despertarmos neles a sua vocação de servir a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Por último, é do nosso conhecimento o processo que se dar uma pescaria. Redes e coragem são bons sinais que se transformam em abundância. Sejamos cada um de nós agente de pastoral esta rede em meio à juventude, para torná-los catequistas. Mencionamos acima os desafios, mas tenhamos a certeza: Resgatar jovens para a Igreja será desafiador, mas não difícil!

3 comentários:

  1. Ótima reflexão, com certeza a catequese precisa de mais jovens engajados! Aqui estamos jogando as redes nos crismandos... esperando que Jesus desperte novas vocações.

    Tereza tem enquete sobre o nosso 1º Natal Dos Catequistas Unidos, passe por lá e vote!

    Bom fim de semana!

    Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  2. Oii Tereza! Ótima postagem!
    Eu tb acho q a juventude tem que entrar com tudo na internet. Os catequistas mais velhos tem muita experiência e conhecimento, enquanto os mais jovens são mais engajados, possuem mais tempo disponível, conhecem as redes sociais e podem sim ser mais simpáticos às crianças e até aos próprios jovens...
    Tenho 22 anos e tenho muito amor pela catequese e sempre tenho muitas ideias. Uma pena que os catequistas mais velhos muitas vezes não as aceitam, mas, eu sempre dou um jeitinho para deixar os encontros mais leves, mais interessantes...

    Um beijo,
    Layse

    ResponderExcluir
  3. Olá Tereza! Ótima reflexão... seria maravilhoso se conseguissemos unir a força de vontade, vivacidade dos jovens à experiencias dos mais velhos!

    Tem selo do Movimento Comenta Mais pra vc lá no blog, e outra campanha que estou iniciando, vc ajuda a divulgar?!

    Obrigada e beijinho no ♥!

    Renata - Amando a Catequese

    ResponderExcluir