Como nos organizamos?

Como nos organizamos?
Clique aqui para saber

sábado, 25 de julho de 2009

Quem são os leigos e leigas na Igreja?

Eles e elas são, antes de tudo, cristãos e membros da Igreja a pleno título. Pelo batismo
são incorporados a Cristo e constituem o Povo de Deus, juntos
com os que recebem as ordens e os religiosos e religiosas.(96) Os
leigos e leigas exercem sua função profética, sacerdotal e real a
seu modo e fazem a sua parte na missão comum de todo o Povo
de Deus.(98-99) Em relação ao clero e aos religiosos, os leigos e
leigas são os cristãos que vivem no mundo, mas como fermento.
A vocação dos leigos e leigas é santificar o mundo pela sua
profissão, pelo seu testemunho, pela sua vida de fé, esperança e
caridade.(100)

A RIQUEZA DOS MINISTÉRIOS LEIGOS

Desde o Concílio Vaticano II aconteceu na Igreja um
florescimento de novos ministérios assumidos pelos leigos. Em
nosso País, são muitas as celebrações dominicais da Palavra,
presididas por leigos e leigas.(160) Experiência bastante
proveitosa é a ação dos Ministros Extraordinários da Sagrada
Comunhão,(163) serviço leigo que também se faz importante na
assistência espiritual aos enfermos e idosos. Mostra-se muito
valioso o Ministério do Batismo,(164) confiado a leigos e leigas,
ministério esse que deve ser estendido mais amplamente, e
principalmente se for dado em conjunto com a Pastoral do
Batismo. Os assistentes leigos do Matrimônio(165) são
testemunhas qualificadas deste sacramento e sua experiência é tão
mais rica se estiver dentro da Pastoral Familiar. A celebração das
exéquias(166) tem sido confiada a leigos e leigas que, em nome
da Igreja, dão testemunho de esperança, solidariedade e conforto.
Algumas comunidades do meio urbano já têm criado(168) o
Ministério da Acolhida e em outras o Ministério do
Aconselhamento. Destaque-se o ministério reconhecido da
catequese,(161) exercido por milhares de leigos e leigas que, na
maioria dos casos, são os primeiros a apresentar a fé às crianças.
Por outro lado, os cristãos leigos e leigas têm sido chamados a
participar, em casos excepcionais, do cuidado pastoral de
paróquias.(159) Que seja sempre incentivada a participação dos
leigos e leigas nos Conselhos pastorais e econômicos(162) e a
assumirem funções de coordenação pastoral em comunidades ou
organismos pastorais,(174) que exigem uma grande dedicação.
Deve ser encorajada a participação dos leigos e leigas nas
tomadas de decisões pastorais e a sua presença nos sínodos e
concílios particulares. Destaque-se, também, a participação de
profissionais leigos e leigas no serviço de administração, de
construção, na assistência aos pobres, na manutenção dos
ministros e na dignidade dos cultos. (171)
Documento 62 – CNBB

Assim, religiosos e leigos podem trazer para a Igreja e para o mundo o testemunho de
pessoas diferentes, em estados de vida diferentes que têm em comum o Batismo e uma
mesma espiritualidade e que juntam esforços para levar adiante um sonho comum: anunciar
o Evangelho e trabalhar sempre para a maior glória de Deus.

2 comentários: